Absoluta

22/04/20 Isolamento social

Aproveite os dias para aumentar seu repertório cultural

Que tal aproveitar o isolamento social para aumentar o repertório cultural e ainda distrair um pouco a mente? Assistir aos filmes clássicos é um ótimo passatempo e também uma forma de refletir sobre nossas escolhas diárias a partir daquelas feitas pelos personagens. Afinal, os clássicos do cinema são atemporais e nos transmitem diversas mensagens sobre ser e agir, dessa maneira, podemos fazer um paralelo com nossa própria vida.
O professor em tomada de decisão, Uranio Bonoldi, listou três importantes filmes clássicos para durante a pandemia  "Esses filmes moldaram gerações e são uma boa alternativa para repensar nossa maneira de viver hoje em dia, ou mesmo nos preparar para inventar um novo modo de viver após o fim dessa pandemia. Diante de um cenário onde precisamos nos manter saudáveis tanto fisicamente quanto mentalmente, assistir a um filme clássico é garantir um entretenimento de qualidade para o cérebro", explica. Portanto, seguindo as regras da Organização Mundial de Saúde, enquanto estiver em casa, aperte o play!

O Show de Truman - Um pacato vendedor de seguros que leva uma vida simples com sua esposa Meryl Burbank. O filme de 1998, com direção de Peter Weir e sucesso de público, conta a história de Truman, que, de repente, percebe que sua vida é uma grande farsa televisionada 24 horas por dia em rede nacional. "A história é cômica, ao mesmo tempo em que também é triste, pois, sem saber, ele tem a vida inteira manipulada para entreter milhares de pessoas. Quando Truman descobre a verdadeira realidade em que vivia e resolve sair desse papel, do personagem falso que nem ele mesmo imaginava existir, é libertador e aí acontece a primeira grande decisão da sua vida em direção ao novo. Com isso, ao longo do filme, fica perceptível a evolução do protagonista em todos os pequenos detalhes, desde quando ele percebe que está sendo manipulado até a sua decisão de abandonar o programa", comenta Bonoldi.

A Vida é Bela - O filme é de 1997 e dirigido por Roberto Benigni. A película conta a história do judeu Guido e seu filho Giosué, que são levados para um campo de concentração nazista durante a Segunda Guerra Mundial na Itália. "Esse acontecimento histórico foi um momento muito triste da história da humanidade, e a capacidade que esse pai teve em transformar uma situação extremamente difícil e adversa em uma experiência leve para o seu filho. A obra nos faz refletir sobre o grau de importância que muitas vezes atribuímos para as adversidades da vida, e ressalta também como podemos ser resilientes e podemos transformar o ambiente ao nosso redor. Guido tomou a decisão de não deixar aquela situação que foi imposta a ele e ao filho traumatizar a criança, ele lutou para que o menino não perdesse a esperança, a imaginação e principalmente a inocência", enfatiza Uranio.

A Sociedade dos Poetas Mortos - O filme dirigido por Peter Weir, de 1990, conta a história sensível de um professor de literatura John Keating em uma nova escola de meninos que é conhecida por suas antigas tradições e alto padrão. Ele usa métodos pouco ortodoxos para despertar o interesse de seus alunos, que enfrentam enormes pressões de seus pais e da escola. "Robin Williams desprende de uma atuação impecável neste filme, que é uma verdadeira história de autoconhecimento, tanto para os alunos quanto para o professor, que consegue mostrar que na vida somos mais do que aprendemos em sala de aula. Vemos a importância dos valores e da construção do caráter de cada um. John prioriza a essência dos alunos e mostra para eles que na vida precisamos tomar, algumas vezes, decisões muito difíceis, e que os maiores entraves estão dentro de nossas mentes", finaliza o professor.


 


Assine nossa Newsletter



























Eu acompanho a Revista Absoluta desde o seu nascimento, sua infância e sua adolescência. Ao vê-la hoje, em plena mocidade, posso afirmar, sem medo, que ela sabe como construir a sua própria história. História de prestígio, credibilidade, entusiasmo e conquista de amizades. Absoluta cresceu. Crescer é superar obstáculos: sejam eles de alegrias e dores, derrotas e vitórias, lutas e sacrifícios, conflitos e incertezas. Absoluta anda por novos caminhos. Andar é... enfrentar o desconhecido, deixar marcas na sua passagem, se firmar com estilo e personalidade. Absoluta nasceu para ser mensageira: distribuir boas novas, dar boas dicas, documentar acontecimentos marcantes do nosso tempo, destacar os profissionais que se dedicam ao progresso das ciências e das relações humanas. A revista não abre mão da beleza interior de cada pessoa que ela focaliza. Acompanhei o seu trajeto e as suas mudanças pelas ruas e avenidas da nossa cidade. Visitei cada morada do seu destino e tomei o cafezinho gostoso com a sua equipe acolhedora, que cresceu unida, vestindo a camisa da sua marca, com a mais absoluta coragem e fidelidade. Vi revistas nascerem e acabarem enquanto a Absoluta caminhava heráldica, saltitando por entre as pedras do caminho. Recebi a honra de ser capa da "Absoluta gente" no lançamento das suas primeiras edições. Tive os meus textos, poemas e as minhas viagens registradas nas suas páginas. Sempre me senti valorizada por ela, enquanto pessoa, prestigiada enquanto artista, e sou grata pelo destaque que a revista Absoluta deu à minha trajetória existencial. Participei de enquetes da revista, ilustrações de textos, me vi entre amigos, tantas vezes, em fotos publicadas nas suas páginas sociais. Costumo chamar Betty Abrahão de Fênix... a ave da mitologia grega que, mesmo quando considerada morta, renasce das cinzas e alça vôo, pro alto, em busca das nuvens. Considero Isabelle o porto seguro desta obra que se eterniza na história de Campinas. Betty e Isabelle são "almas- irmãs" na vida e na parceria do seu trabalho. O sucesso da Revista Absoluta tem a sua origem na cumplicidade de um sonho que se desabrocha e se estende além dos limites da nossa cidade. Podemos comemorar as 100 edições em família, com a certeza de que fazemos parte desta história. Usarei as palavras de Rubem Alves [o escritor sempre destacado e valorizado por esta revista], para sintetizar a minha homenagem a toda a Equipe Absoluta: "O fato é que todos aqueles que ainda têm a ousadia de falar e escrever, acreditam, ainda que forma tênue, que o seu falar faz uma diferença... e desta crença depende o seu sono e o seu acordar..." Parabéns pela centésima edição!!!! Siga Absoluta!!!! Siga fazendo novos caminhos, ao andar...!!! Beijos
Anna Maria Badaró

 

Parabéns! A Revista Absoluta está excelente. 
Maria Cucatti

Entre em contato agora mesmo!


Desejo receber as novidades