16/02/18 Brincadeiras Infantis

Passatempos populares auxiliam no desenvolvimento biopsicossocial das crianças

O ato de brincar tem um papel fundamental para o crescimento biopsicossocial das crianças. É nesse momento que elas se desenvolvem, exploram características de personalidade, fantasias, medos, desejos, criatividade e elaboram o mundo exterior a partir de seu campo de visão. Para a psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga, os pequenos precisam experimentar, psicopedagoga ousar, tentar e conviver com as mais diversas situações. Para isso, ela separou cinco brincadeiras bem tradicionais que podem ajudar no desenvolvimento das crianças:

Stop

O passatempo consiste em sortear uma letra do alfabeto e com esta letra, preencher as colunar categorizadas como nome, animal, cor, frutas e outros. O grupo precisa preencher as colunas com as expressões que iniciam com a letra sorteada o mais rápido possível. Segundo Ana Regina, a brincadeira trabalha a interação e a comunicação, ajuda a criança a desenvolver habilidades como raciocínio, memória, agilidade, espírito de competição e liderança.

Amarelinha

Para brincar, basta desenhar um caminho no chão e dividi-lo em casas numeradas de 1 a 10. Nesta antiga brincadeira, os pequenos trabalham a questão de lateralidade, equilíbrio, a matemática, a lógica e a compreensão do que deve ser feito.

Passa Anel

Em um grupo de crianças, uma delas possui um anel nas mãos. As outras sentam em um círculo com as duas mãos unidas, enquanto quem possui o anel, passa de um em um, até chegar no último e abrir as mãos, mostrando que não está mais com o anel. A pergunta é feita ao grupo “com quem está o anel?”. Quem acertar, vence.Com essa brincadeira, as crianças desenvolvem o trabalho em equipe, além do respeito ao próximo, já que ele tem que esperar a resposta e a participação de cada colega.

Bolinha de gude

Para brincar, cava-se um buraquinho, conhecido como poça. Ao acertar a bolinha dentro do buraco, o participante ganha o direito de lançar sua bolinha contra as dos adversários. As bolinhas atingidas são conquistadas. Se errar, a vez passa para o próximo. Este jogo, de acordo com a psicopedagoga, aborda questões de lateralidade, já que o objetivo é acertar as bolinhas no buraquinho cavado e envolve um pouco das habilidades matemáticas para somar ou subtrair as bolas.

Pular elástico
O ideal é que duas crianças fiquem dois metros afastados uma da outra, enquanto a outra se posiciona no centro do elástico para fazer todos os movimentos da cantiga. Se errar, o participante troca de posição com um dos colegas que estão segurando o elástico. Vence quem conseguir pular mais alto. “Este passatempo ajuda a trabalhar com os movimentos do corpo, mobilidade e flexibilidade, além de servir como um exercício”, finaliza Ana Regina.  


Assine nossa Newsletter



























A última edição da revista Absoluta está maravilhosa. Parabéns Isabelle Sabbatini e Betty Abrahão!  
Marina Zerbinatti, juíza do trabalho

Maravilhosa cobertura da Feijoada da Hípica.
Vera Marcelino

Mensagem