17/06/18 Uso de celular

Saiba o que fazer para evitar a contaminação

Muitos artigos tem sido publicados sobre a contaminação de celulares por microrganismos potencialmente patogênicos, fungos e até parasitas, inclusive em equipes de atendimento em hospitais. Mas o que podemos fazer para prevenir estas contaminações, e qual o risco real que apresentam em nosso cotidiano?
Você limpa ou desinfeta seu celular regularmente? Há necessidade? Cada quanto tempo?
De acordo com a professora de microbiologia Lycia M. J. Mimica, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, os germes que podem provocar doenças estão por toda parte, e o contato é necessário para que o organismo desenvolva defesas contra as doenças.
Segundo ela, o seu celular pode efetivamente transmitir agentes infecciosos, mas em determinadas condições, a sua limpeza ou desinfecção são recomendados.
A frequência de limpeza depende de onde você esteve e de como ou quando você manuseia seu telefone. Por exemplo, se você nunca usa o celular enquanto come, não precisa se preocupar, pois se lavar as mãos cuidadosamente antes das refeições e não tocar em superfícies potencialmente contaminadas (como é o telefone...), não há necessidade de desinfecção frequente.
Mas se o utiliza constantemente, inclusive durante as refeições, a limpeza diária, inclusive com uma substância desinfetante, é uma boa ideia.
A limpeza regular é importante especialmente se você usa capas de borracha ou plástico, pois as bactérias tendem a aderir mais facilmente a estes materiais do que em outros.
A recomendação dos fabricantes de telefones é de que se desligue o aparelho antes de limpar, utilize um pano umedecido com desinfetante doméstico ou produto para esta finalidade.
Lembrando que todas as superfícies com as quais temos contato direto podem ser “contaminadas” por germes, inclusive alguns que podem transmitir infecções.
"Há estudos sobre contaminação em teclados de computadores, balaústres de ônibus, grades de leitos em hospitais, sabonetes em barra utilizados por várias pessoas, toalhas de pano em locais públicos, e muitos outros", afirma Dra. Lycia.
Assim, o mais importante é lavar as mãos cuidadosamente sempre que possível, pois desta maneira estaremos prevenindo adquirir e transmitir infecções, na comunidade ou até em hospitais.
 

 


Assine nossa Newsletter



























Amo a revista Absoluta! É super completa pois combina conteúdo com excelente qualidade. O seu tamanho, além de charmoso, a torna prática para carregar na bolsa.
Posso afirmar que a Absoluta já faz parte da minha vida e da minha família. Temos todas desde início!
Aproveito para parabenizar a presidente e fundadora, Betty Abrahão, e toda a equipe, que fazem um trabalho incrível para apresentarem aos leitores o que há de melhor.
Além de, é claro, eternizarem os momentos importantes de nossas vidas.
Geórgia Keppke

Eu acompanho a Revista Absoluta desde o seu nascimento, sua infância e sua adolescência. Ao vê-la hoje, em plena mocidade, posso afirmar, sem medo, que ela sabe como construir a sua própria história. História de prestígio, credibilidade, entusiasmo e conquista de amizades. Absoluta cresceu. Crescer é superar obstáculos: sejam eles de alegrias e dores, derrotas e vitórias, lutas e sacrifícios, conflitos e incertezas. Absoluta anda por novos caminhos. Andar é... enfrentar o desconhecido, deixar marcas na sua passagem, se firmar com estilo e personalidade. Absoluta nasceu para ser mensageira: distribuir boas novas, dar boas dicas, documentar acontecimentos marcantes do nosso tempo, destacar os profissionais que se dedicam ao progresso das ciências e das relações humanas. A revista não abre mão da beleza interior de cada pessoa que ela focaliza. Acompanhei o seu trajeto e as suas mudanças pelas ruas e avenidas da nossa cidade. Visitei cada morada do seu destino e tomei o cafezinho gostoso com a sua equipe acolhedora, que cresceu unida, vestindo a camisa da sua marca, com a mais absoluta coragem e fidelidade. Vi revistas nascerem e acabarem enquanto a Absoluta caminhava heráldica, saltitando por entre as pedras do caminho. Recebi a honra de ser capa da "Absoluta gente" no lançamento das suas primeiras edições. Tive os meus textos, poemas e as minhas viagens registradas nas suas páginas. Sempre me senti valorizada por ela, enquanto pessoa, prestigiada enquanto artista, e sou grata pelo destaque que a revista Absoluta deu à minha trajetória existencial. Participei de enquetes da revista, ilustrações de textos, me vi entre amigos, tantas vezes, em fotos publicadas nas suas páginas sociais. Costumo chamar Betty Abrahão de Fênix... a ave da mitologia grega que, mesmo quando considerada morta, renasce das cinzas e alça vôo, pro alto, em busca das nuvens. Considero Isabelle o porto seguro desta obra que se eterniza na história de Campinas. Betty e Isabelle são "almas- irmãs" na vida e na parceria do seu trabalho. O sucesso da Revista Absoluta tem a sua origem na cumplicidade de um sonho que se desabrocha e se estende além dos limites da nossa cidade. Podemos comemorar as 100 edições em família, com a certeza de que fazemos parte desta história. Usarei as palavras de Rubem Alves [o escritor sempre destacado e valorizado por esta revista], para sintetizar a minha homenagem a toda a Equipe Absoluta: "O fato é que todos aqueles que ainda têm a ousadia de falar e escrever, acreditam, ainda que forma tênue, que o seu falar faz uma diferença... e desta crença depende o seu sono e o seu acordar..." Parabéns pela centésima edição!!!! Siga Absoluta!!!! Siga fazendo novos caminhos, ao andar...!!! Beijos
Anna Maria Badaró

 

Mensagem