09/10/17 Incentivo à doação

Ministério da Saúde investe em campanha para a conscientização de doadores

O Brasil registrou o maior número de doadores de órgãos da história. Contudo, o Ministério da Saúde alerta para o alto índice de recusas: 43% das famílias ainda dizem não e muitas vidas deixam de ser salvas. O ministro da saúde, Ricardo Barros, ressalta que “a área de transplantes é muito sensível e estamos comemorando recordes, tanto em número de transplantes quanto em número de doadores.”. Entre os transplantes que mais comuns, destacam-se os de córnea, rim, fígado, coração e pulmão. “Apesar dos recordes, estamos liberando R$ 10 milhões para ampliar esse tipo de transplantes em alguns órgãos. Desse total, 70% serão investidos nos procedimentos em si e 30% na melhoria e aperfeiçoamento dos processos de trabalho”, destacou Barros.
Para marcar o Dia Nacional do Doador de Órgãos, foi lançada a campanha de conscientização e incentivo à doação “Família, quem você ama pode salvar vidas”, que busca sensibilizar a população para a importância da doação de órgãos e de avisar a todos sobre a importância do “sim”. Entre as peças principais da campanha, está um curta metragem de animação de três minutos, na voz da cantora Kell Smith, famosa pela música “Era uma vez”. O conceito que assina a história é “Família, quem você ama pode salvar vidas”.
A educadora física e transplantada Liège Gautério reforça a importância da autorização da família. “Esse ano completo seis anos de uma nova vida. Sou transplantada unilateral de pulmão, ou seja, vivo apenas com um pulmão funcionando, mas devo isso a uma família que há seis anos me disse sim e me permitiu viver. Seguindo corretamente as orientações e tomando as medicações necessárias, podemos viver bem. Para isso, basta que uma família diga sim, como um dia disse a mim”, comentou.
Há uma diferença entre os órgãos que podem ser doados. Coração, pulmões, fígado, pâncreas, intestino, rins, córnea, vasos, pele, ossos e tendões são para o caso do doador falecido. E para o doador vivo, é possível doar um dos rins, parte do fígado ou do pulmão e medula óssea. A retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico, como qualquer outra cirurgia.


Assine nossa Newsletter























Uma empresa de muita capacidade e que dá portunidades para as pessoas. Parabéns Absoluta!
Cleci Aguiar

Excelente revista. Leitura agradavel, uma mistura bem comtemporânea sem perder a identidade da cidade. Revista bem elaborada. Atemporal. Parabens Isabelle, sou sua fã. Que capa criativa.
Christiana Blattner, dermatologista

Nome


E-MAIL
Mensagem