09/10/17 Incentivo à doação

Ministério da Saúde investe em campanha para a conscientização de doadores

O Brasil registrou o maior número de doadores de órgãos da história. Contudo, o Ministério da Saúde alerta para o alto índice de recusas: 43% das famílias ainda dizem não e muitas vidas deixam de ser salvas. O ministro da saúde, Ricardo Barros, ressalta que “a área de transplantes é muito sensível e estamos comemorando recordes, tanto em número de transplantes quanto em número de doadores.”. Entre os transplantes que mais comuns, destacam-se os de córnea, rim, fígado, coração e pulmão. “Apesar dos recordes, estamos liberando R$ 10 milhões para ampliar esse tipo de transplantes em alguns órgãos. Desse total, 70% serão investidos nos procedimentos em si e 30% na melhoria e aperfeiçoamento dos processos de trabalho”, destacou Barros.
Para marcar o Dia Nacional do Doador de Órgãos, foi lançada a campanha de conscientização e incentivo à doação “Família, quem você ama pode salvar vidas”, que busca sensibilizar a população para a importância da doação de órgãos e de avisar a todos sobre a importância do “sim”. Entre as peças principais da campanha, está um curta metragem de animação de três minutos, na voz da cantora Kell Smith, famosa pela música “Era uma vez”. O conceito que assina a história é “Família, quem você ama pode salvar vidas”.
A educadora física e transplantada Liège Gautério reforça a importância da autorização da família. “Esse ano completo seis anos de uma nova vida. Sou transplantada unilateral de pulmão, ou seja, vivo apenas com um pulmão funcionando, mas devo isso a uma família que há seis anos me disse sim e me permitiu viver. Seguindo corretamente as orientações e tomando as medicações necessárias, podemos viver bem. Para isso, basta que uma família diga sim, como um dia disse a mim”, comentou.
Há uma diferença entre os órgãos que podem ser doados. Coração, pulmões, fígado, pâncreas, intestino, rins, córnea, vasos, pele, ossos e tendões são para o caso do doador falecido. E para o doador vivo, é possível doar um dos rins, parte do fígado ou do pulmão e medula óssea. A retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico, como qualquer outra cirurgia.


Assine nossa Newsletter





















Acabei de receber por e-mail a revista deste mês, parabéns está uma revista diversificada, com conteúdo e muito bonita. Em especial gostei da matéria das cozinhas, as fotos que colocaram ficaram ótimas. Adorei!!
Lucyene Del Alamo

Muito orgulho participar de mais uma edição da Absoluta, com Betty Abrahão, Isabelle Sabbatini e um grande time de jornalistas e colunistas. Revista cada vez melhor!
José Pedro Martins, jornalista

Mensagem