05/12/17 Olho seco

Complicação pode ter ligação com as síndromes de dor crônica

Recentemente, pesquisadores da Universidade de Miami encontraram uma ligação entre as síndromes do olho seco e da dor crônica - um achado que sugere que seja necessário um novo paradigma para diagnóstico e tratamento na melhora da qualidade de vida dos pacientes.
Para chegar a essas conclusões, a equipe avaliou 154 pessoas com olhos secos do Miami Veterans Affairs Hospital. Os pacientes relataram níveis mais elevados de dor ocular e não ocular associadas às múltiplas síndromes crônicas e apresentaram maiores escores de depressão e índices menores de qualidade de vida consistentes com um transtorno de sensibilidade central. Os pesquisadores também suspeitaram que o incômodo pode compartilhar fatores genéticos causais com outras complicações sobrepostas.

Entendendo a complicação
Quando os olhos não produzem um suprimento adequado de lágrimas ou as lágrimas evaporam-se rapidamente da superfície da córnea, é desenvolvida uma sensação dolorosa ou de "coceira". Sem tratamento, esse problema pode levar à inflamação, úlceras ou cicatrizes. “Os olhos dos pacientes podem se tornar hipersensíveis aos estímulos, como ao vento e à luz. Os pacientes  têm dor espontânea, como uma sensação de queimação, que geralmente está associada à lesão do nervo”, afirma a oftalmologista Sandra Alice Falvo.
Tradicionalmente, os oftalmologistas tratam o olho seco com lágrimas artificiais ou medicamentos tópicos para a superfície da córnea. No entanto, mesmo que estes tratamentos melhorem alguns sintomas, muitos continuam a relatar dores na região. “Nosso maior desafio é educar os médicos no sentido de que o olho seco representa uma condição de dor crônica sobreposta. Consequentemente, uma abordagem multidisciplinar deve ser considerada no diagnóstico e no tratamento da dor dos pacientes com olho seco”, conclui Sandra.


Assine nossa Newsletter























Parabéns, Absoluta, por fazer parte da história de Campinas e pela seriedade e dedicação em que nos mostra e apoia o melhor da nossa cidade. Sempre com muito trabalho e carinho pelo que faz.
Assim, sentimos orgulho em compartilhar este momento grandioso de um centenário. Em especial, um parabéns à Betty Abrahão.
Jurandir Meirelles

 

A Absoluta chega à maioridade de maneira magnífica.Em todos esses anos, soube aliar a memória histórica significativa dos fatos ao presente palpitante e traçar cenários precisos para o futuro. Soube aliar fatos, dados e informações das mais diversas áreas do conhecimento, da cultura, da arte e até da religião. Com a revista, ficamos mobilizados por muitas causas, nos comovemos, tivemos prazer, rimos e choramos, mas ela nos encantou a cada edição. Parabéns Betty e Isabelle!
Que essa energia mágica que lhes permite conduzir a Absoluta de forma tão especial, seja sempre abençoada.
Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
 

 

Nome


E-MAIL
Mensagem