26/04/18 Estresse pode levar à perda dos dentes

Aliado à má higienização bucal, problema pode desencadear doenças periodontais

De acordo com uma pesquisa realizada pela Faculdade de Odontologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), pessoas estressadas têm mais chance de desenvolver doenças periodontais, como a gengivite e a periodontite. O estresse eleva a produção do hormônio cortisol que baixa a imunidade do organismo e, aliado à má higiene oral, favorece o surgimento de bactérias que podem afetar a gengiva e provocar, em casos extremos, a perda do tecido ósseo e até mesmo dos dentes.
"A tensão emocional e os episódios de estresse como o de jovens em fase pré-vestibular, o excesso de afazeres, términos de relacionamentos e perda de entes queridos, associados à presença de placa bacteriana, podem aumentar as chances de aparecimento da doença gengival ou periodontal", alerta o periodontista Luiz Rodolfo May dos Santos.
No início, a pessoa não sente dor, pois o processo doloroso, com mobilidade dental, só surge em estágios mais avançados da doença. Por isso, é necessário estar atento a alguns sinais como mau hálito, gengiva avermelhada, inchada e com sangramento. O tratamento é realizado pelo cirurgião dentista, na maioria das vezes, requer raspagem do tártaro acumulado, além do alisamento e polimento dental. Feito isso, o paciente recebe mais orientações sobre higiene oral. Durante a intervenção, em alguns casos, é necessária a ingestão de medicamentos, como anti-inflamatórios ou antibióticos. "O paciente deve retornar ao consultório para realizar consultas de manutenção, seguindo à risca as recomendações de seu dentista", explica Luiz Rodolfo.
Entre as principais sequelas da doença estão o aumento da sensibilidade dos dentes, retração da gengiva e perda de parte do tecido ao redor dos dentes. Nos dois últimos casos, é recomendado avaliar se é possível fazer um enxerto para garantir uma melhor estética do sorriso e evitar grandes espaços entre os dentes, o que pode dificultar ainda mais a higienização da boca.
Caso não seja tratada, a gengivite pode evoluir para a periodontite, um problema crônico que atinge o osso e as fibras que seguram os dentes. A doença periodontal é a principal causa da perda de dentes entre os adultos e os idosos.
A doença, que provoca o desenvolvimento de uma espécie de "bolsa" entre a gengiva e os dentes, tem controle com uma boa higienização bucal e visitas regulares ao dentista. Assim, para manter distância de doenças como a gengivite e a periodontite, é fundamental escovar corretamente os dentes após as refeições, sem esquecer o uso diário do fio dental, e visitar o consultório odontológico, no mínimo, duas vezes por ano.
Além disso, para reduzir o estresse, a dica é incluir hábitos saudáveis ao estilo de vida, como comer e dormir bem, fazer exercícios físicos e reservar um tempo para o lazer. Em casos mais extremos, no entanto, é preciso procurar ajuda profissional. 


Assine nossa Newsletter


























Adoro todos vocês da Absoluta e, para mim, é um enorme prazer ser uma leitora assídua e poder colaborar. Quero parabenizar a maior idade, o sucesso e utilidade para toda nossa comunidade de um veículo de informação, lazer e cultura da melhor qualidade. Uma revista linda como a Absoluta só pode ser produzida por pessoas maravilhosas como você Betty e toda sua equipe. Estou feliz por todos vocês. Comemorem e celebrem muito esta vitória - 18 anos - um marco sensacional!
Nazira Mahayri

A revista está linda, como sempre.
Adelina Alcântara Machado

Mensagem