01/12/18 Visão das crianças

Uso de aparelhos eletrônicos pode causar miopia

O uso constante de aparelhos eletrônicos como smartphones e tablets é um dos fatores relacionados ao desenvolvimento da miopia e da evolução do problema especialmente em crianças.
De acordo com a oftalmologista Erika Silvino Rodrigues, o costume de olhar muito próximo para esses objetos faz com que o cristalino, que é como uma lente natural dos olhos, fique contraído e, quando há a necessidade de realizar o processo inverso, ou seja, olhar para longe, ocorre a dificuldade de relaxamento.
Esse processo contribui para o desenvolvimento da miopia acomodativa, como é denominada. Erika ressalta que, além dessa questão, o uso rotineiro desses aparelhos também é capaz de aumentar o grau de miopia em quem já possui o problema.
Números da Academia Americana de Oftalmologia (AAO) mostram que, até 2050, metade da população mundial será míope. Com o cenário crescente no número de casos, a oftalmologista reforça a importância de acompanhamento médico desde o nascimento, com o teste do olhinho.
"A criança deve ser avaliada desde cedo, pois há alterações que devem ser descobertas até os 5 anos. Como por exemplo, pacientes que apresentam uma diferença grande de miopia de um olho para o outro, pois caso não seja corrigido com lente até essa idade limite, o olho com maior grau tem mais chances de não se desenvolver", enfatiza.
Apesar da miopia não apresentar, na maioria dos casos, evoluções graves quando não tratada, é fator de risco para outras doenças. "Os míopes têm como característica o olho maior e a retina mais frágil, portanto, possuem maior chance de ter problema na retina do que a população que não apresenta esse problema", diz.

 


Assine nossa Newsletter



























A Absoluta chega à maioridade de maneira magnífica.Em todos esses anos, soube aliar a memória histórica significativa dos fatos ao presente palpitante e traçar cenários precisos para o futuro. Soube aliar fatos, dados e informações das mais diversas áreas do conhecimento, da cultura, da arte e até da religião. Com a revista, ficamos mobilizados por muitas causas, nos comovemos, tivemos prazer, rimos e choramos, mas ela nos encantou a cada edição. Parabéns Betty e Isabelle!
Que essa energia mágica que lhes permite conduzir a Absoluta de forma tão especial, seja sempre abençoada.
Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
 

 

Queridas Betty e Isabelle, quero cumprimentá-las pela beleza e qualidade da edição da revista nov/dez. Está incrível, elegante e muito interessante de ler!! As mudanças foram ótimas. Parabéns! 
Maria Inês Fini