25/03/19 Dermatite

Pesquisa revela que pacientes sofrem com ansiedade ou depressão

De acordo com nova pesquisa do British Journal of Dermatology, 50% dos adultos com eczema (dermatite atópica) foram diagnosticados também com ansiedade ou depressão nos últimos 12 meses ou mostram sinais desses problemas de saúde mental.
O estudo foi realizado nos Estados Unidos e faz um alerta importante: o risco de ansiedade e depressão é dramaticamente maior em adultos com eczema do que naqueles sem a doença, já que esse número cai para 27,3% entre adultos sem eczema. "Este estudo confirma o que as pessoas com essa doença sentem há muito tempo: as doenças de pele podem ter um impacto profundo na autoestima, podendo levar à ansiedade e à depressão, principalmente quando não são tratadas", afirma a dermatologista Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.
A pesquisa foi realizada por dermatologistas e alergologistas e também descobriu que a gravidade dos sintomas do eczema está fortemente ligada ao risco de ansiedade e depressão. “O estudo analisou um tipo comum de eczema chamado dermatite atópica, uma condição comum da pele que causa irritações na pele, coceira e vermelhidão. A condição geralmente começa na infância, no entanto, muitas vezes continua na idade adulta”, afirma a dermatologista. “A dermatite atópica é uma doença genética, crônica e, dentre os sintomas, estão: pele seca, erupções que coçam e crostas que se formam principalmente nas dobras dos braços e da parte de trás dos joelhos”, explica.
Segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a dermatite atópica é a 11ª doença dermatológica mais comum na população brasileira, afetando 2,4% da população em todas as faixas etárias.
O estudo incluiu 2893 adultos dos EUA, 602 dos quais tinham eczema. Os participantes completaram uma pesquisa on-line que foi projetada para revelar a gravidade de seu eczema se eles tivessem a condição e o estado de seu bem-estar mental. A gravidade do eczema foi definida por meio de três avaliações diferentes que consideraram fatores como distúrbio do sono, coceira e extensão da pele seca. Com base nos scores de avaliação, a gravidade da doença foi caracterizada de leve a muito grave. Já a avaliação da saúde mental foi concluída usando a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS), que se traduziu em escores de ansiedade e depressão. Os participantes também foram perguntados se tinham sido diagnosticados com depressão ou ansiedade por um profissional de saúde no ano passado.
“Os scores de ansiedade e depressão aumentaram significativamente com cada categoria de gravidade do eczema, sugerindo que a gravidade da doença é um fator importante de ansiedade e depressão em pacientes com eczema. 100% dos adultos com eczema severo, pontuados em todos os três critérios de mensuração, apresentavam escores da ansiedade e da HADS limítrofes ou anormais”, afirma a dermatologista. “Existe uma forte ligação entre nossa pele e nossa saúde mental. Este estudo confirma a necessidade de garantir que os serviços de saúde mental sejam acessíveis aos pacientes com problemas de pele e, quando possível, integrem os cuidados mentais e físicos na primeira oportunidade”, diz a médica. “Compreender a causa da ansiedade e depressão em pacientes com eczema, como a gravidade dos sintomas, pode ajudar a melhorar os cuidados de saúde mental para pacientes com problemas de pele comuns”, finaliza.


Assine nossa Newsletter

























Betty...muito obrigado pelo carinho....adorei as fotos...vc é mesmo uma pessoa muito especial....muito mais sucesso sempre é o que desejo de coração a você....um beijo grande......♥♥♥
Rachell Ferrari

Parabéns pela revista. É disto que Campinas precisa. 
João Marcos Fantinatti