18/08/17 Tarde das mulheres

Zenaide Bonavita comemora aniversário cercada de amigas

Umas das mulheres mais queridas da sociedade campineira, Zenaide Bonavita comemorou, com um animado almoço, esta tarde, mais um aniversário. Cercada de amigas e da família, ela curtiu a tarde na maior animação. Zenaide é sempre lembrada por seu atuante trabalho na filantropia, além de ser uma mulher extremamente religiosa, e que contribui com várias obras na cidade. Desejamos felicidades!
No destaque, Zenaide Bonavita (a direita) e Julieta Caram.

Confira no nossa galeria quem esteve lá!


Assine nossa Newsletter



























A revista Absoluta é a primeira, única e sem concorrência no seu segmento, ganhando este espaço, numa construção de 18 anos, que coroa a sua expertise em conteúdo e formatação, dando-lhe uma condição de total respeitabilidade e confiança.Mas, o que mais cativa a nós, os seus leitores, é o extremo respeito e responsabilidade, quanto à forma de colocar todas as suas reportagens!
Exerce sua função de cidadania, na multiplicação de opiniões, conceitos e posturas de vanguarda e transcende as fronteiras da nossa querida Campinas, do nosso Estado e do Brasil!
Cada tiragem supera as nossas expectativas, quanto ao bom gosto estético, ético e moral. Inteligente, instigante e interessante!
Que Deus abençoe a todos e que possamos contar com a Absoluta sempre em nossas casas!
Murillo Antonio Moraes de Almeida -Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Campinas

Na matéria da revista Absoluta, em que Isabelle Sabbatini escreveu o texto sobre Egas Francisco, tive uma certeza: ela compreendeu um gênio !!!!!!
As suas palavras descrevem Egas como alguém "que inspira mansidão, acolhimento, ousadia e loucura". Esta é a síntese da genialidade de quem suplanta todas as expectativas de ser apenas um igual e abraça com ousadia e coragem as suas próprias contradições para construir um novo caminho. Pessoas que extrapolam os conceitos vulgares de simplesmente existir e, assim, atingem a genialidade. Pessoas que tornam menos sombria a condição humana, porque elas tem a criatividade e a força de espírito maior do que a maioria das pessoas integradas no contexto do existir comum.
Parabéns, Isabelle !!! Amei a matéria !!!! Bjs
Anna Maria Badaró, artista plástica