100 anos de arte paulista

Imagine uma coleção com mais de 50 obras de 48 artistas, como Di Cavalcanti, Candido Portinari, Almeida Júnior, Lasar Segall, Tarsila do Amaral, José Pancetti, que, com seus traçados, nuances e inventividade, contribuíram para a formação do mapa artístico do estado de São Paulo. Este importante recorte do acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo poderá ser apreciado pelo público na Galeria de Arte da CPFL Cultura, de 10 de abril a 10 de julho próximo. A realização é uma parceria entre CPFL Energia e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

A mostra “100 anos de arte paulista”, com curadoria de Valéria Piccoli e José Augusto Ribeiro, apresenta artistas originários ou atuantes no estado de São Paulo, entre 1912 e 2012. Embora escape ao recorte cronológico estabelecido para a mostra, a presença do estudo para “Caipira picando fumo”, de Almeida Junior, obra de 1893, constitui-se numa homenagem ao primeiro artista que, a partir de São Paulo, alcançou projeção nacional.

A exposição se inicia com o autorretrato da campineira Beatriz Pompeu de Camargo, pintura de fatura delicada, com inflexões impressionistas e ainda bastante ligadas à tradição das belas artes. Apresenta obras de Segall, Brecheret e Flavio de Carvalho, que abrem caminho aos demais artistas da geração modernista como Graz, Di Cavalcanti, Rebolo e Volpi. Tarsila do Amaral e Candido Portinari também tem seu trabalho representado por meio de desenhos.

Artistas ligados ao movimento abstrato, que emerge no cenário paulista a partir do final da década de 1940, estão reunidos no segundo módulo da exposição. São apresentadas as experiências revolucionárias de Geraldo de Barros com a fotografia, as chamadas fotoformas. Seguido do abstracionismo geométrico de Waldemar Cordeiro e Fiaminghi, como também do abstracionismo lírico, representado nesse conjunto pela pintora de origem japonesa Tomie Ohtake.

A apropriação de imagens do cotidiano por artistas ligados à arte pop também faz parte da mostra, com obras de Maurício Nogueira Lima e gravuras de Antonio Henrique Amaral. A geração de artistas que reabilita a pintura início dos anos de 1980 é representada por Leda Catunda, Nuno Ramos e Paulo Pasta.

O grupo dos novíssimos artistas ativos atualmente em São Paulo inclui João Loureiro, Tatiana Blass e o jovem pintor Lucas Arruda, que encerra esta seleção com uma obra datada de 2012.

Serviço
“100 anos de Arte Paulista no acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo”
CPFL Cultura – Rua Jorge Figueiredo Correa, 1632 – Chácara Primavera, Campinas/SP
De 10 de abril a 10 de julho, de terça a domingo das 10 às 18 horas
Informações pelo telefone (19) 3756-8000

 

 

 

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!