Abaixo-assinado exige redução de IPVA em São Paulo

Please select a featured image for your post

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) está liderando um movimento por redução na cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em São Paulo, por meio de um abaixo-assinado pela internet. A iniciativa tem como objetivo envolver a sociedade na discussão das alíquotas cobradas dos proprietários de veículos pelo governo paulista, que são as mais altas do Brasil. Neste momento, em que a crise econômica mundial começa a afetar a produção e os empregos no país, a proposta de reduzir o peso do imposto tem como argumento não só o benefício aos contribuintes proprietários de carros, mas também a manutenção de postos de trabalho de milhares de brasileiros. Para aderir à campanha, basta acessar a página do abaixo-assinado pelo site do deputado (www.pauloteixeira13.com.br).

A redução nas alíquotas teria o efeito de promover as vendas de carros, alimentando uma cadeia industrial que já começou a fazer cortes em seus quadros e que precisa de estímulos de toda natureza. A proposta do deputado Paulo Teixeira não é extinguir o tributo, mas alterar as bases de cobrança nestes tempos de crise. Um dos pontos defendidos pelo parlamentar é reduzir de 4% para 3% o IPVA sobre os automóveis flex, afinal, eles são taxados como carros a gasolina (4%), mas rodam com álcool (3%). Outra proposta do parlamentar é isentar de IPVA os carros populares novos, por tempo determinado, assim como diminuir a alíquota temporariamente para os carros mais potentes, tanto novos quanto usados.

A mudança traria alívio ao bolso. Hoje, quem compra um automóvel popular (motor 1.0 flex) na faixa de R$ 30 mil, em São Paulo, vai pagar R$ 1.200 em IPVA. Se fosse cobrada a alíquota proposta pelo deputado, de 3%, o custo cairia para R$ 900. No Paraná, o mesmo veículo está pagando hoje R$ 750. “O governo de São Paulo precisa tomar medidas para estimular a economia. Reduzir o IPVA pode parecer perda de receita, mas nesse momento teria o efeito contrário. Faria vender mais carros e impediria justamente a queda na arrecadação, além de garantir empregos, que é o ponto mais importante nessa crise”, afirma Paulo Teixeira.

Para o deputado, a redução de IPVA em São Paulo seria uma medida com a mesma lógica daquela que foi tomada pelo governo federal em dezembro, a pedido das montadoras: a isenção de IPI para automóveis populares e a redução de alíquotas para os veículos com motor acima de 1.0. De imediato, os carros ficaram mais baratos e as vendas tiveram uma recuperação sensível.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta