Alerta ao sinal

Segundo a neuroftalmologista e especialista em estrabismo Marcela Barreira, quem apresenta a diplopia pode se sentir muito desconfortável e ficar incapacitado para realizar tarefas diárias como ler, escrever, andar e trabalhar, diz a médica. “Muitos casos de diplopia são consequências de alterações neurológicas, como a paresia dos nervos cranianos, alterações musculares, como a miastenia ocular e oftalmopatia de Graves, além de traumatismo craniano, AVC ou tumores cerebrais. Outros casos estão ligados a estrabismos descompensados”, explica a especialista.
“Precisamos alertar as pessoas que a visão dupla pode ser uma das primeiras manifestações de doenças sistêmicas, como as doenças musculares e neurológicas, como também pode indicar a presença de tumores cerebrais ou aneurismas”, afirma a médica. Sendo assim, é fundamental procurar o médico especialista assim que possível. 

Causas da visão dupla
Cada olho cria sua própria imagem do ambiente. O cérebro é responsável por juntar essas imagens e fundi-las em uma única. Se há algum dano nos músculos oculares ou nos nervos que controlam os movimentos, pode ocorrer a visão dupla. 
De acordo a neuroftalmologista, descompensação de desvios oculares prévios (estrabismo), problemas na tireóide, doenças vasculares (derrame, aneurisma cerebral) e tumores cerebrais que levam ao enfraquecimento dos músculos como a miastenia gravis, esclerose múltipla e traumatismos cranianos, estão entre as principais condições de saúde que levam à visão dupla.  
“Como podemos ver, as causas são graves e requerem tratamento médico imediato, assim como o acompanhamento periódico. Outro ponto de atenção é que a diplopia pode vir acompanhada de outros sintomas, como visão embaçada, dor nos olhos, sensibilidade à luz (fotofobia), ardência, olhos saltados, fraqueza muscular, entre outros”, explica Marcela.  
Como há um número enorme de doenças que causam a diplopia, o tratamento varia e deve ser totalmente individualizado. Algumas causas são mais simples, e outras mais complexas. Por isso, ao apresentar a visão dupla, é fundamental consultar um neuroftalmologista – médico especialista nessa condição. “A diplopia é um sintoma que deve ser valorizado mesmo na ausência de outros sinais e sintomas adicionais, por isso o paciente precisa procurar o médico precocemente”, conclui a médica.   

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!