Atenção aos olhos

O olho humano é um dos mais complexos e delicados órgãos do corpo. Ele necessita de cuidado e proteção para se manter saudável e garantir um bom funcionamento, além de estar hidratado, o que ocorre toda vez que se pisca pela troca constante do filme lacrimal. Contudo, algumas pessoas podem ter deficiência na produção de lágrimas, não conseguindo produzir a quantidade adequada. “Mas agentes externos e ambientais também podem desencadear o ressecamento da superfície do olho. Este problema provoca vermelhidão, coceira e ardor e, em casos mais graves, até mesmo dificuldade de movimentar as pálpebras”, explica o oftalmologista Marcelo Netto, professor e doutor em Oftalmologia pela Universidade de São Paulo.
A baixa produção de lágrimas pelas glândulas lacrimais caracteriza uma doença denominada de Síndrome do Olho Seco, uma disfunção lacrimal que se não tratada pode levar à ulceração das córneas e até mesmo à perda da visão. A baixa umidade do ar e a ação de agentes poluentes podem aumentar os casos da síndrome. Os sintomas são ardência, vermelhidão, sensação de areia ou de corpo estranho, coceira, lacrimejamento, cansaço, irritação, visão turva, desconforto ao ler, assistir televisão ou trabalhar em frente ao computador por muito tempo.
Além disto, existem outras síndromes, como o Olho Seco Irritativo, que neste caso, a pessoa produz a lágrima necessária para a hidratação dos olhos, mas em virtude de fatores externos, possui problemas com a desidratação ocular, como exposição ao sol, vento, ar condicionado, fumaça, poluição.
“Atualmente, a tecnologia tem influência direta nos fatores do olho seco. Comumente, usuários de equipamentos eletrônicos, como computadores, celulares e tablets, reduzem a frequência de piscadas, o que provoca a diminuição na lubrificação dos olhos”, destaca Marcelo.

Tratamento

A primeira alternativa é o uso de lubrificantes artificiais, lágrimas artificiais e colírios, que atuam como substâncias fisiológicas, ou seja, substâncias que já integram nosso organismo, fazendo com que o resultado seja efetivo e instantâneo. Os colírios mais indicados são os compostos com ácido hialurônico, substância que traz mais viscosidade, hidratação e estabilização do filme lacrimal, e sem conservantes, pois evitam os efeitos colaterais, como vermelhidão, ardência nos olhos e cansaço visual. Embora o uso do produto seja simples, o modo correto de aplicação garante a eficácia da solução e também evita o desperdício. Além disso, é indicado o acompanhamento oftalmológico frequente para evitar lesões na córnea que possam comprometer a visão.

Dicas para manter a hidratação

É recomendado que se pisque frequentemente e sempre descanse os olhos quando possível. Ter no mínimo oito horas de sono por noite, beber água constantemente e limpar os olhos frequentemente também são orientações importantes. Na época de tempo seco, sempre deixar exposto sapatos, roupas e casacos que ficam guardados por muito tempo no armário. Por fim, manter as mãos e os olhos sempre limpos.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta