Aterotrombose

Você certamente já ouviu falar em angina de peito, infarto do miocárdio e acidente vascular encefálico. Mas o que talvez ainda não saiba é que todos eles são fenômenos aterotrombóticos.
A aterotrombrose é um fenômeno através do qual os vasos apresentam um espessamento de suas paredes ou a formação de coágulos no seu interior, que dificultam a passagem do sangue, levando a uma oxigenação insuficiente (isquemia) dos diferentes órgãos, ocasionando a angina de peito, o infarto do miocárdio ou o acidente vascular cerebral. Caso ocorra o rompimento de um vaso, com o extravasamento de sangue,haverá um acidente denominado de hemorrágico.
Reconhecemos alguns fatores de risco que fogem do nosso controle, tais como a hereditariedade (parentes próximos com doença aterosclerótica: angina, infarto ou AVC) e faixa etária (homens com menos de 55 anos e mulheres com menos de 65 anos; ou com idade avançada). 
Mas, de acordo com um estudo realizado em 52 países, publicado em 2004, foram identificados fatores controláveis. Em ordem decrescente, a partir dos piores fatores, podem ser controlados: colesterol total elevado e C-HDL baixo, tabagismo (fumar ou fazer uso de qualquer droga inalada ou injetável), diabete sacarino, hipertensão arterial (pressão arterial maior que 140×90 mm/Hg), obesidade (IMC maior que 25), estresse (ansiedade, tensão, depressão) e baixa ingestão de frutas e vegetais.
Felizmente, também foi constatado que alguns fatores são protetores, como a prática frequente de exercícios físicos (entre meia hora e uma hora, três a sete dias na semana, sendo que este tempo pode ser dividido com a preática de exercícios aquáticos); consumo de peixes de águas profundas (salmão, cavala, sardinha) duas vezes por semana ou mesmo por mês; consumo de pequenas quantidades de chocolate amargo com mais de 38% de cacau, cerca de sete gramas diariamente; consumo de pequenas quantidades de álcool, de preferência vinho tinto, seco ,rico em flavonoides, duas ou mais vezes por semana; e períodos de relaxamento na presença de amigos, com quem possa dividir angustias, tensões, problemas e decepções.
Com a ajuda de um bom cardiologista, é possível deixar o coração saudável e bem cuidado. Mas lembre-se, algumas atitudes podem contribuir e muito para a sua saúde. Não fumar ou inalar qualquer tipo de droga ou poluição; andar 3 a 6 km por dia ou se exercitar 60 minutos, diariamente, comer cinco porções diárias de frutas ou vegetais frescos; manter a pressão sistólica (máxima) abaixo de 140 mm/Hg; manter o colesterol total abaixo de 5 milimois (200 mg/dl); manter o LDL-c (colesterol ruim) abaixo de 3 milimois (130 mg/dl); além de não aceitar qualquer excesso acima de seu peso ideal.  

Dr. Alberto F. Piccolotto Naccarato é cardiologista, responsável técnico do Centro Diagnóstico Cardiológico de Campinas.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!