Bebês e tecnologia

Atualmente, é comum algumas crianças começarem a usar dispositivos eletrônicos antes mesmo de suas primeiras palavras. Entretanto, uma nova pesquisa, apresentada durante a Reunião de Sociedades Acadêmicas Pediátricas de 2017, sugere que os pequenos que tem este contato precoce com a tecnologia podem estar em maior risco de apresentar atraso na fala.
Os pesquisadores apresentaram os resultados de um estudo sobre o tema, que incluiu 894 crianças entre as idades de seis meses e dois anos, em Toronto, Canadá, entre 2011 e 2015. Foi descoberto que, a cada aumento de 30 minutos no tempo de tela, aumentava-se em 49% o risco de atraso expressivo na fala.
Para o pediatra Moises Chencinski, esta descoberta apoia uma recente recomendação da Academia Americana de Pediatria e outra da Sociedade Brasileira de Pediatria que desencoraja o uso de qualquer tipo de mídia digital por menores de 18 meses. “Mais pesquisas são necessárias para entender o tipo de conteúdo e atividades que os bebês estão envolvidos para explorar os mecanismos por trás do aparente vínculo entre o tempo de tela e a demora para começar a falar”, afirma o médico.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta