Campinas Decor 2012

Please select a featured image for your post

A 17ª edição da Campinas Decor, principal mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do interior paulista, registrou público recorde no feriado prolongado do Dia do Trabalho. Cerca de 4 mil pessoas foram à Fazenda Santa Margarida, em Joaquim Egídio, nos quatro primeiros dias de evento. Apenas nesta terça-feira, dia 1º de maio, mais de 1,5 mil visitantes haviam passado pela bilheteria até as 18h. Aberta na última sexta-feira, 27 de abril, a Campinas Decor pode ser visitada até 17 de junho e reúne em 16,4 mil metros quadrados de passeio o que há de mais moderno no setor.

Segundo a empresária Sueli Cardoso, uma das organizadoras da mostra, mesmo com a chuva, o movimento de visitantes foi intenso durante todo o final de semana e tornou-se ainda melhor nesta terça-feira, que amanheceu ensolarada. “Moradores de Campinas e de toda a região elegeram a Campinas Decor como passeio no feriado e saíram daqui encantados com o que viram”, afirma.

Sueli conta que o movimento registrado até agora é superior ao obtido no primeiro final de semana da edição de 2009, realizada no Instituto Agronômico de Campinas, que bateu todos os recordes. “Estamos muito otimistas, porque a Campinas Decor 2012 está sendo considerada por muitos a edição mais bonita da história do evento”, diz.

Os amplos jardins, o casarão sede – com seus espaçosos salões e dormitórios, pé direito duplo e uma grande varanda -, a gigantesca piscina de 800 metros quadrados, o mirante, a antiga tulha e outras edificações existentes na Fazenda Santa Margarida abrigam 48 ambientes internos e externos, preparados por 82 dos principais arquitetos, decoradores e paisagistas de Campinas e região.

São 2,6 mil metros quadrados de área construída e 13,8 mil metros quadrados de área livre, em um passeio que também inclui a oferta de serviços como Restaurante e Café, transformando a Campinas Decor em uma opção imperdível para toda a família. Foram investidos R$ 8 milhões na preparação da mostra, divididos entre a organização, expositores, patrocinadores e fornecedores. A expectativa é atrair 35 mil visitantes no total.

Em pouco mais de dois meses de trabalho, a organização e os expositores refizeram as instalações hidráulica e elétrica, recuperaram pisos e paredes, renovaram revestimentos e imprimiram nos espaços o que há de mais moderno em tecnologia de automação residencial, luminotécnica, mobiliário, equipamentos de som e imagem, pisos, revestimentos, pinturas e paisagismo. Também aproveitaram a beleza já existente para criar a combinação perfeita entre o antigo e o moderno.

O estilo retrô aparece nos mais diversos itens, como eletrodomésticos de época, lustres de cristal e móveis antigos (ou releitura dos mesmos). As cores fortes, como amarelo, vermelho e variados tons de roxo e violeta também aparecem em diversos espaços.

Outra constante é a sustentabilidade, que se mostra das mais diversas formas, como a ampla utilização de madeira de manejo, sobras de demolição, pisos compostos por pó de pedra e armários com revestimento produzido de garrafas pet.

Os amplos espaços existentes na fazenda também possibilitaram a construção de edificações, nas quais, além de poder expressar melhor seus estilos arquitetônicos, os expositores puderam apostar em sistemas construtivos inovadores, como tetos em vidro, estrutura metálica, tijolos de solocimento e paredes erguidas com madeira de reflorestamento.

O paisagismo é um capítulo à parte. Os jardins e espécies já presentes na fazenda inspiraram os profissionais, que compuseram belos espaços utilizando recursos como piscinas naturais, fontes e espelhos d´água e levaram para a fazenda espécies imponentes – como palmeiras phoenix canariensis e tamareiras -, pleomeles, clusias, camélias, além de plantas comumente encontradas nas casas brasileiras, que retornam à moda, como antúrios e espadas de São Jorge. O visitante também encontra elementos inusitados, como uma égua árabe habitando um dos espaços da mostra.

 

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta