Comércio de Campinas perde cerca de R$ 50 milhões em fevereiro 

O faturamento do comércio varejista de Campinas foi de R$ 975,8 milhões em fevereiro de 2021, e representa uma redução de 4,87% (R$ 49,9 milhões) em relação ao mesmo mês de 2020, quando o comércio faturou R$ 1,025 milhão, e de 6,54%, quando comparado a janeiro deste.

As informações são da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), baseadas nos dados da BoaVista SCPC – Serviço Central de Proteção ao Crédito. Na RMC – Região Metropolitana de Campinas – o percentual de queda no faturamento foi semelhante (-4,86%) na comparação entre fevereiro de 2020 (R$ 2,442 milhões) e 2021 (R$ 2,323 milhões).

De acordo com os dados, as reduções das vendas em Campinas em fevereiro e janeiro, representam a perda de R$ 219,6 milhões apenas este ano. “Somada à perda de R$ 5,048 bilhões no acumulado de janeiro a dezembro de 2020, o prejuízo do comércio varejista da região acumula R$ 5,268 bilhões durante a pandemia”, informou Laerte Martins, diretor do Departamento de Economia da ACIC.

O e-commerce expandiu em fevereiro de 2021 e o ticket médio das vendas on-line cresceu 20%, passando de R$ 136,20 para R$ 163,40

“As mudanças de fase do Plano São Paulo, com o aumento das restrições de circulação, afetarão ainda mais as vendas do mês de março”, analisou. Na categoria de “bens não duráveis”, as vendas em supermercados aumentaram em 10,60% e, nas drogarias e farmácias, 1,65%. Já os postos de gasolina sofreram redução de 9,55% em fevereiro de 2021. Na categoria “bens duráveis”, as vendas de materiais de construção evoluíram em 15,5% e móveis e lojas de departamentos em 1,25%. Já o setor de vestuário teve as vendas reduzidas em 7,20%. Já na categoria “serviços”, turismo e transportes, sofreram queda de 11,40% e bares e restaurantes caíram 13,15%.

Inadimplência
A inadimplência, entre janeiro e fevereiro de 2021, expandiu 34,49%, considerando o aumento de registros inseridos e a queda dos excluídos no BoaVista SCPC. Comparada com fevereiro de 2020, a inadimplência expandiu 1,70%. No acumulado do ano (janeiro e fevereiro), a expansão foi de 3,18%, com 23.039 carnês / boletos não pagos em fevereiro 2021, contra 22.330 de fevereiro de 2020, o que correspondendo a R$ 16,6 milhões em endividamento em Campinas. Na RMC, foram 54.885 carnês / boletos não pagos em fevereiro de 2021, correspondendo a R$ 39,5 milhões o total do endividamento.