Correr ou caminhar?

Quem faz caminhada, trabalha em intensidade mais baixa e, com isso, predomina o trabalho aeróbio. “Uma caminhada de uma hora queima em média 480 calorias energéticas, das quais 70% são de gordura. Uma corrida queima o dobro de calorias, das quais apenas 30% ou 40% são de gordura”, ressalta Givanildo Holanda Matias, Personal Trainer e pós-graduado em Fisiologia do Exercício.

Paralelamente, quando a pessoa passa a correr, a intensidade do exercício aumenta e, em contraponto, diminui a contribuição da gordura como fonte de energia. Em uma hora correndo, o gasto energético é maior e predomina a queima de carboidratos. Daí a importância do consumo desta categoria de alimentos, como pães, massas, cereais e frutas.

Esteira também vale, inclusive pela facilidade de regulagem de aclive, velocidade e monitoramento da frequência cardíaca. “A opção pelo aparelho depende mesmo da preferência. Há quem tenha a sensação de ganhar tempo e se distrair, lendo ou assistindo televisão, mas o ideal é que haja concentração no exercício e na respiração, da mesma forma que andando nas ruas ou num parque”, observa.

Independentemente da preferência de cada um, iniciar ou manter uma atividade física exige um checkup médico de manutenção, principalmente da pressão arterial e da frequência cardíaca. Aos iniciantes, a dica é iniciar com atividades aeróbicas com intensidade mais baixas, progredindo continuamente.

Para quem já se decidiu pela caminhada ou pela corrida, o fisiologista dá algumas orientações:

Nunca se exercite em jejum: o hábito pode desencadear um quadro hipoglicêmico (baixa glicose) ou de pressão baixa (hipotensão), tendo a sensação de tontura ou desmaio. A sugestão é consumir fontes ricas em carboidrato e proteína, como fruta, barra de cereal, pãozinho, iogurte ou queijo

Alongue-se: atividades físicas necessitam de minutos iniciais de alongamento de membros superiores, inferiores e tronco pode resultar em distensões e cãibras.

É preciso preparo muscular: para obter resultados satisfatórios, o ideal é associar atividades aeróbias (corrida, caminhada, natação, bicicleta) a um trabalho de fortalecimento muscular, seja com aparelhos ou em exercícios livres, utilizando o peso do próprio corpo, halteres, caneleiras e bolas.

Não existe um “horário ideal”: a prática de exercícios matutinos, vespertinos ou noturnos depende da disponibilidade e da preferência individual.

 

Se pessoas que caminham acreditam que aqueles que correm obtêm mais benefícios, estão enganados. As duas modalidades, respeitando os limites, proporcionam saúde e bem-estar e, nas duas opções, há queima de gordura e gasto energético.
Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!