Cuidado com a visão dos pequenos

Os problemas de visão nas crianças nem sempre são percebidos rapidamente, por isso é recomendável um bom diagnóstico médico antes dos sete anos de idade. O Instituto Penido Burnier (IPB) orienta que nesse início de ano letivo, pais e responsáveis levem ao oftalmologista toda criança entre quatro e cinco anos, inclusive aquelas que não aparentam nenhum problema de visão. O oftalmologista do IPB, Alberto Gallo Neto, orienta que "crianças nessa faixa de idade nem sempre relatam queixas de visão por serem muito pequenas e ainda não conseguirem elaborar muito bem essas questões, por isso a visita ao oftalmologista é muito importante para a prevenção ou mesmo a correção de problemas", comenta.

Cuidado constante

Gallo Neto enfatiza que com as crianças todo cuidado ainda é pouco. O médico menciona alguns casos que surgem em consultórios e que muitas vezes poderiam ser evitados. "Aparecem crianças no consultório com olhos iritados ou queimados, devido ao contato com produtos químicos ou remédios, deixados em local de fácil acesso. Responsáveis e pais devem lembrar que existem acidentes que podem ser prevenidos e, portanto, tudo o que representar perigo deve ser trancado e colocado no alto, onde as crianças não possam alcançar", menciona o médico.

Lentes e óculos

É possível colocar graus em óculos para a prática de vários esportes e não somente para crianças, como óculos para jogar basquete e futebol e judô, flexíveis e inquebráveis, ou ainda fazer natação e mergulho, entre outras modalidades. Não há mais aquela dificuldade de uma criança que usava óculos não poder participar de atividades físicas como os coleguinhas.

"Hoje já existem crianças que pedem para usar lentes de contato no lugar dos óculos nos eventos sociais ou esportivos, porém é preciso lembrar que os pais ou responsáveis precisam cuidar pessoalmente desse acessório, que exige cuidados especiais de manipulação e higiene. A idade mínima para o uso de lentes de contato na criança vai depender do grau de dificuldade visual, da motivação e da rigorosa atenção dos pais", ressalta Gallo Neto.

O médico explica que nem sempre uma queixa da criança, como dor de cabeça, coceira nos olhos ou o hábito de assistir televisão praticamente colado na tela são indicativos de problemas com a visão. Segundo ele, muitas vezes é somente um vício de postura e um oftalmologista pode diagnosticar corretamente.


Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!