Dados sobre câncer

Please select a featured image for your post

O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) Octavio Frias de Oliveira, ligado à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, acaba de divulgar o resultado de seu primeiro perfil de pacientes, que apontou que 49% das internações representam a faixa etária de 51 a 70 anos. O estudo também mostrou que um em cada 10 internados no hospital tem até 30 anos de idade e que 26% têm entre 31 e 50 anos. Já os pacientes com mais de 70 anos representam 15%.

Inaugurado em maio de 2008, o hospital tem 14,6 mil pacientes atendidos, dos quais 23% (ou aproximadamente um em cada quatro) possui histórico de tabagismo ou alcoolismo. Entre os homens, o índice de tabagismo chegou a 26% dos pacientes, e o de alcoolismo, 12%. Já entre as mulheres com câncer atendidas no hospital 11% têm histórico de tabagismo anotados no prontuário, e apenas 2% de alcoolismo.

Os maiores índices de tabagismo estão entre os pacientes dos grupos de urologia e de cirurgia torácica, com 46% e 44% do total de pessoas atendidas, respectivamente. Em pacientes do grupo de cirurgia geral, 20% do total de atendimentos, sendo 41% dos homens apresentaram consumo excessivo de álcool.

Entre os pacientes que passaram pelo grupo de cirurgia do aparelho digestivo, o índice de tabagismo chegou a 42%, sendo de 52% entre os homens. Entre os atendidos pela equipe de cirurgia de cabeça e pescoço, 32% têm histórico de tabagismo (55% dos homens), e no grupo de neurocirurgia o índice chega a 35%.

Segundo o levantamento, 60% dos internados no Icesp são do sexo feminino. As mulheres também respondem por 66% dos atendimentos em ambulatório.

“Chama a atenção que o hospital esteja atendendo tanta gente jovem, alguns com menos de 30 anos de idade. O câncer não tem idade e a melhor arma é a prevenção, por meio de hábitos de hábitos de vida saudáveis e informação sobre o histórico familiar em relação à doença”, afirma Giovanni Guido Cerri, professor da USP e diretor geral do Icesp.

O diretor do Instituto afirma ainda que, embora diversos fatores contribuam para o desenvolvimento do câncer, os números apresentados pelo hospital revelam que o tabagismo e o consumo excessivo de álcool são hábitos que podem auxiliar no desenvolvimento da doença. “Especialmente o cigarro, que está fortemente ligado a cânceres de pulmão, esôfago, pâncreas, próstata, bexiga e boca, entre outros”.

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.