Dia Mundial do Coração

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), as doenças cardiovasculares são atualmente a principal causa de mortes no Brasil. Entre 2004 e 2013, três milhões de pessoas foram vítimas de doenças associadas ao coração, o equivalente a uma morte a cada 40 segundos. Com o objetivo de alertar e prevenir, no próximo dia 29 de setembro é celebrado o Dia Mundial do Coração.
A condição é responsável pelo dobro de mortes se comparada a todos os tipos de câncer, duas vezes mais que causas externas como acidentes e violência, três vezes mais que as doenças respiratórias e seis vezes mais que infecções crônicas como a AIDS.  Somente este ano, já foram registradas mais de 240 mil mortes por doenças cardiovasculares no Brasil – mais de 10 mil somente no mês de setembro, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.
As doenças cardiovasculares afetam o sistema circulatório, os vasos sanguíneos e o coração. Existem diferentes tipos e, entre as mais comuns, estão a hipertensão arterial, o enfarte do miocárdio, a angina pectorise as arritmias cardíacas. “Embora fatores não modificáveis, como predisposição genética, contribuam para a ocorrência de doenças cardíacas, essas estatísticas podem ser explicadas principalmente pelos maus hábitos de vida da população, como alimentação não balanceada, sedentarismo, sobrepeso e tabagismo”, explica o cardiologista, Humberto Freitas.

Fatores de risco

Os fatores de risco para doenças cardiovasculares podem ser divididos em três categorias: condições médicas, estilo de vida e fatores hereditários. Classificam-se como condições médicas problemas como colesterol, pressão alta, diabetes e outros. No caso do estilo de vida, se enquadram hábitos como tabagismo, sedentarismo, alimentação desbalanceada, obesidade, estresse e alcoolismo. Já os fatores hereditários, são condições genéticas herdadas de familiares, que podem interferir na condição cardiovascular do indivíduo.

Prevenção e Tratamento

Não adotar hábitos de fatores de risco é uma das formas de evitar o desenvolvimento das doenças.  Também é importante estar atento aos antecedentes familiares para doenças crônicas e ter, como rotina, o acompanhamento médico e, se necessário, o tratamento via medicamentos e intervenções.
De acordo com o médico, o check-up é a melhor maneira de identificar e tratar problemas cardiovasculares e pode ser realizado por todos, independentemente da faixa etária e gênero. “Os exames preventivos devem ser solicitados de acordo com a necessidade de cada paciente. Os mais comuns são o eletrocardiograma (ECG), ecocardiograma, exames laboratoriais, teste de esforço e tomografia do coração”, diz o especialista.
Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta