Dilma Roussef

Dilma Rousseff tornou-se neste sábado, dia 1º de janeiro, a primeira mulher presidente da República e prometeu fazer da luta contra a miséria uma prioridade em seu governo.

A nova presidente prometeu, em seu discurso de posse no Congresso, consolidar a "obra transformadora" daquele que lhe passou a faixa e que a escolheu para sucedê-lo, afirmando que governará para todos.

"A luta mais obstinada do meu governo será pela erradicação da pobreza extrema e a criação de oportunidades para todos", afirmou Dilma, de 63 anos, no Congresso.


"A superação da miséria exige prioridade na sustentação de um longo ciclo de crescimento. Com crescimento é que serão gerados os empregos necessários para as atuais e as novas gerações", afirmou em discurso logo após de assumir, que durou 40 minutos.


Dilma destacou também a necessidade de uma reforma política e medidas que modernizem o sistema tributário do país.


A presidente assumiu o compromisso de avançar em áreas como educação e saúde e disse que o Brasil deve ser um exemplo para o mundo de que é possível ter crescimento econômico sem destruir o meio ambiente. Para ela, este é um momento novo para o Brasil.


"Muita coisa melhorou no nosso país, mas estamos vivendo apenas o início de uma nova era", disse. "Pela primeira vez o Brasil se vê diante da oportunidade real de se tornar, de ser, uma nação desenvolvida."


A presidente emocionou-se em alguns momentos, especialmente quando disse que "a partir deste momento sou a presidenta de todos os brasileiros".

Um dos momentos em que recebeu mais aplausos foi quando lembrou do ex-vice-presidente José Alencar, que por estar internado em um hospital de São Paulo não compareceu à cerimônia.

Ao entrar no Congresso, Dilma –vestindo um tailleur de cor creme– foi saudada com o bordão "ole, ole, ole, olá, Dilma, Dilma", da mesma forma que ocorreu com seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, quando assumiu a Presidência.


A nova presidente chegou ao Congresso Nacional sob chuva, por isso o trajeto pela Esplanada dos Ministérios teve que ser feita em carro fechado. No caminho, acenou às pessoas que a saudavam, muitas agitando bandeiras do PT e protegidas por guarda-chuvas.


Com a trégua da chuva, a nova presidente seguiu em carro aberto do Congresso para o Palácio do Planalto, acompanhada pela filha, Paula.


Dilma subiu a rampa do Planalto ao lado do vice-presidente Michel Temer e recebeu a faixa de Lula no Parlatório, um púlpito de concreto construído na área externa, em frente à Praça dos Três Poderes.


Logo depois, com a faixa presidencial, fez seu primeiro pronunciamento à nação como presidente e reiterou uma homenagem aos companheiros de luta contra a ditadura.


"Minha geração veio para a política em busca da liberdade, num tempo de escuridão e medo. Pagamos o preço da nossa ousadia, ajudando o país a chegar até aqui", disse. "Aos companheiros que tombaram nesta caminhada, minha comovida homenagem e minha eterna lembrança."


E prometeu honrar o legado do presidente Lula.


A festa que marcou o início do governo Dilma foi, ao mesmo tempo, a despedida de Lula, com popularidade recorde.

Visivelmente emocionado, depois de passar a faixa presidencial para sua sucessora, Lula quebrou o protocolo e foi abraçar populares ao pé da rampa do Palácio do Planalto.

fonte Yahoo

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!