Endoscopia

A cirurgia minimamente invasiva é, atualmente, uma realidade e veio para substituir as cirurgias chamadas abertas. Esse tipo de procedimento utiliza a vídeo-endoscopia onde apenas "mínimos furos" são realizados ao invés de grandes incisões.

Já aplicada há algum tempo nas cirurgias ortopédicas, torácica e abdominal, a técnica endoscópica começa agora a ser utilizada também nas cirurgias de tumores intracranianos e nos procedimentos da coluna vertebral.

O Hospital Centro Médico de Campinas anuncia, oficialmente, o oferecimento das cirurgias endoscópicas transnasais para remoção de tumores na cabeça e na coluna. O cirurgião Carlos Takahiro Chone, otorrinolaringologista do hospital, explica que realiza a técnica para ressecção de tumores na base do crânio, em especial os tumores da hipófise, glândula localizada numa cavidade óssea na base do cérebro, que produz numerosos e importantes hormônios. Chone ressalta que cinquenta cirurgias minimamente invasivas para tumores na cabeça por via nasal já foram realizadas com alta taxa de sucesso. Segundo ele, o Centro Médico de Campinas é pioneiro na cidade a atuar com o procedimento endoscópico transnasal. “Existem poucos serviços no Brasil que atuam com a técnica de forma rotineira com a participação das equipes de otorrinolaringologia e neurocirurgia conjuntamente como no Centro Médico de Campinas, onde ambos tomam as decisões de comum acordo”, observa Chone.

Para ele a via endoscópica apresenta inúmeras vantagens frente às vias tradicionais com microscópio ou com abertura do crânio. “Essa técnica permite uma visualização melhor do tumor e das estruturas adjacentes de alto risco, como artérias importantes do cérebro e nervos, possibilitando uma ressecção mais adequada e com segurança, além de menos morbidade que as vias convencionais”, comemora o especialista.

Em procedimentos na coluna vertebral, o neurocirurgião Roth Vargas realiza por via endoscópica as cirurgias de hérnia de disco, além de outras patologias da coluna, tais como: estenoses do canal raquiano (estreitamento do canal da coluna por onde passam os nervos) e compressão de raízes nervosas por artroses de coluna (desgaste).

Segundo Roth Vargas, a utilização de equipamentos de alta tecnologia pelo Centro Médico, como neuronavegador, além de materiais cirúrgicos especiais e da UTI de alto padrão, são fatores que permitem a rápida recuperação do paciente.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!