Entendendo a Psoríase

No dia 29 de outubro, é comemorado o Dia Mundial da Psoríase, data criada com o objetivo de conscientizar a população sobre o problema que atinge cerca de cinco milhões de pessoas no Brasil. Trata-se de uma doença autoimune, que acomete pele e circulações e não tem cura, mas é tratável. “É muito importante que a pessoa procure ajuda de um dermatologista logo nos primeiros sintomas para que seja feito um diagnóstico e iniciado o tratamento, que vai variar conforme o grau da complicação”, explica a dermatologista Daniela Bellucci.
Entre os sintomas mais comuns, estão as manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas, pele ressecada e rachada, coceira, queimação, dor, inchaço e rigidez nas articulações, unhas grossas e descoladas, entre outros. “Nos casos mais graves, ela pode realmente afetar a vida do paciente, que chega a sofrer preconceito porque as pessoas acham que é contagioso. Por isso, recomendamos o cuidado o mais rápido possível, para que essas manifestações fiquem controladas e a qualidade de vida seja melhorada”, destaca a especialista.
Há, atualmente, diversos tipos de tratamento disponíveis, desde os tradicionais até os com medicamentos imunobiológicos. A indicação é feita por um médico dermatologista, de acordo com a fase da Psoríase do paciente. Em casos leves, manter a pele hidratada e utilizar medicamentos tópicos nas lesões podem ser suficientes. “A exposição ao sol em horários recomendados e por um período seguro também ajuda”, orienta Daniela.
Quando a Psoríase já está um pouco mais avançada, os mais comuns são tratamentos com exposição à luz ultravioleta A (PUVA) ou ultravioleta B (banda estreita) em cabines. “Para os casos mais graves, temos opções de medicamentos orais e injetáveis”, explica a médica. “Alimentação saudável e exercício físico também são fortes aliados”, completa.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a doença é causada por fatores genéticos, imunológicos e ambientais, mas alguns itens aumentam as chances, como estresse, que é importante gatilho, já que debilita o sistema imunológico; a obesidade, que causa a psoríase invertida; o tempo frio; tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!