Estudo comprova que cigarro reduz ação de antibiótico

Please select a featured image for your post

O cigarro pode afetar de forma negativa a ação de antibióticos e interferir no resultado clínico esperado. Para compensar a redução do efeito do medicamento no organismo, dentistas e médicos precisariam ministrar doses maiores do remédio para os pacientes fumantes, sob o risco potencializar também seus efeitos colaterais, como alteração de paladar e diarréia, entre outros problemas.

Esta é a conclusão do estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic, de Campinas, que avaliou a biodisponibilidade – quantidade do medicamento efetiva – do antibiótico Metronidazol em pacientes fumantes. O medicamento normalmente é receitado em casos de tratamentos de doenças periodontais, como gengivite e periodontite, por exemplo, além de tratamentos ginecológicos, entre outros.

Segundo a pesquisa, realizada em parceria com a área de Farmacologia da Faculdade de Odontologia da Unicamp, o cigarro pode interferir na ação do Metronidazol no organismo de fumantes, o que significa a alteração de sua metabolização e uma possível interferência na eficácia do tratamento de doenças com o uso deste medicamento.

Os pesquisadores selecionaram um grupo de pessoas que fumavam 20 cigarros por dia e um grupo de não fumantes.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta