Festa da Lagoa – Ribeirão Preto




No ultimo sábado (21/8) aconteceu um dos eventos mais tradicionais da cidade de Ribeirão Preto: a Festa da Lagoa. O evento que tem periodicidade anual é conhecido pela organização e qualidade das atrações que oferece. Este ano a festa  aconteceu em novo local, escolhendo o bem aparelhado centro de eventos Maison VS. Na parte musical, o grande destaque foi a dupla CROSSOVER que é hoje um dos projetos mais famosos do Brasil, quando o assunto é juntar música eletrônica com outros instrumentos. E por fim, uma decoração e cenografia de tirar o chapéu!

A história

A Festa da Lagoa surgiu de uma reunião de amigos, realizada na antiga Fazenda Stocche. O bom trabalho ganhou fama na cidade e na região. Atualmente, podemos afirmar que a Festa da Lagoa já é uma atração de nível estadual, e muito aguardada no ano. Atualmente o evento é comandado pelos empresários, Rafael Turíbio, Hugo Gazola, Chetto e Dú Dotto. Iniciada a treze anos atrás, e com um público cada vez maior os organizadores tiveram que mudar o local para atender a demanda e manter o alto padrão da festa!

Edição 2010

A edição 2010 da Festa da Lagoa foi um exemplo de organização e excelente atendimento aos quase 2.500 convidados. Pra começar, a festa contou com um fantástico Open Bar, que incluiu diversos tipos de bebidas, entre: espumantes, vodkas, sucos, refrigerantes e água. Entre as bebidas que roubaram a cena, estavam as delicioasas Sakeritas, preparadas a partir do Sake Jun Daiti. Opções de sabores nas Sakeritas não faltaram, com sabores de morango, abacaxi, uva e frutas vermelhas. Mas a campeã de pedidos foi mesmo a Sakerita de Morango. Agora, quem buscava algo ainda mais sofisticado, tinha a opção do “Coquetel da Lagoa” feito a partir de sake, licor curaçau blue, mix de lima-limão e soda. Os únicos itens que eram vendidos fora do Open Bar eram, whisky Ballantines e o energético Burn. De resto, era uma festa de bebidas e ótimo serviço.

Mas a estrutura da festa foi além. Para cuidar das “freqüentadoras” da festa com todo o carinho, foi montado um Lounge Woman Care by Andrea Pécora. Nele, as mulheres podiam dar um “up” no visual, tanto na maquiagem quanto nos cabelos. Afinal, que mulher que não quer ficar, e permanecer, linda numa festa tão sofisticada?!

Super estrutura

Pra começar, o local escolhido para a festa, tinha um estacionamento decente, para TODOS os veículos dos freqüentadores da festa. Outro ponto que merece elogios foi a adequada estrutura de banheiros, que evitaram filas, tanto no masculino quanto no feminino. Passando a parte de som e luz, o evento também impressionou. Na parte de som, nada menos que 80 mil watts (de potência real) garantiram um som forte e de qualidade. Na iluminação, nada menos que 16 moving-heads, montados numa enorme estrutura de Box-Trans no centro da pista, coloriam todo o salão. Somavam-se ainda, o laser computadorizado, telões de projeção, e dois gigantes painéis de LEDS capazes de reproduzir 256 tons de cores (cada um com 1,2 m de altura e 4,8 metros de largura) atrás da cabine do DJ.

Line Up

O Line Up da festa foi de fazer inveja a muito evento de porte nacional. Passaram pela festa o Crossover (formado pelo músico instrumentista e arranjador Amon-Rá Lima e o DJ e produtor Júlio Torres), além dos DJs Fifo Ramos, Crhistian Stilck, Mario Zan, Edgard Fontes, Marcelo Nassi e do Vj Marco Corsino.

Mario Zan – Com 28 anos, atua há quase treze como DJ, desde que decidiu levar o “hobby” como profissão. Suas características marcantes são seus sets de House, Electro House com vocais e breaks, o que torna seu trabalho algo muito empolgante para quem ouve.  Carismático com o público, valoriza o uso do vinil.

Christian Stilk –
Atuando em cenas diferentes como raves, festivais, casas noturnas e festas, o DJ Christian Stilk mostra um repertório inteligente e versátil, focando seu trabalho em pesquisas além de rótulos. O DJ usa técnica e ousadia para experimentar novas tendências. Com 14 anos de experiência, Stilck faz um som que passa por linhas mais deep, pelo funky house até linhas mais conceituais do tech house e minimal.

Fifo Ramos –
Trabalha há mais de 20 anos como profissional da área de turismo. É diretor de uma das mais conceituadas Agências de Turismo da cidade de Ribeirão Preto, a Caravel Tur. Em 2006 sofreu um acidente que o levou a condição de cadeirante, permanecendo com movimentos parciais somente dos membros superiores. Após um duro período de reflexão e adaptação. Hoje acumula as funções de agente de viagens, palestrante e DJ profissional e muito elogiado nas noites de Ribeirão Preto e do exterior.

Edgard Fontes – Sua carreira começou na noite paulistana do jet set nacional e seguiu em apresentações pelos principais clubs de música eletrônica do país. Durante quatro anos foi residente da Anzu (Itu, interior de São Paulo) e também cumpriu três temporadas consecutivas no badalado club Space, de Ibiza (Espanha). Edgard Fontes também acumula experiência ao lado de DJs internacionais como Armin Van Buuren, Paul Oakenfold, Tiesto, Tim Deluxe, Pete Tong, Paul Van Dyk, Carl Cox, entre outros, além de ter tocado em importantes festivais como o Helvetia Music Festival.

Marcelo Nassi – É pioneiro na música eletrônica da região. Dj desde 1995, Marcelo Nassi ganhou muita experiência, profissionalismo e talento no decorrer dos anos, com um bom feeling, carisma e sensibilidade de sentir a pista. Com muita técnica, sempre mostra seus macetes nos toca-discos, que ganham muitos scratches e backspins nas suas apresentações. Seu jeito é único de comandar as pick ups, seu som passeia pela melodia da house, definindo-se entre bases grooveadas, sempre procurando mostrar muita alegria e animação.

Crossover – Certamente, a grande atração da noite,foi a dupla que compõe o projeto Crossover. Formado pelo músico, instrumentista e arranjador Amon-Rá Lima (violinista da Família Lima) e o DJ e produtor Júlio Torres, o projeto ganhou identidade e admiração do público. O mix da música eletrônica com a sonoridade do violino agita as pistas das principais casas noturnas do País. A criatividade de Amon e Júlio conquista a cena da música eletrônica, surpreendendo o público. Diferente de tudo, o mix das batidas do DJ com a maestria do músico ganham os fãs de música eletrônica, que encontram em suas composições a excitação e o toque clássico. A dupla é especialista em pegar sucessos do passado e acrescentar o suave toque do violino, com uma roupagem completamente moderna. Nem precisa dizer que a pista vai a loucura com a apresentação.

O exemplo

A Festa da Lagoa mostrou que é muito mais do que uma simples festa. É como uma extensão da filosofia de seus idealizadores. Mais do que fazer uma festa, está evidente a atitude “limpa” de respeitar tantos os clientes que pagam para se divertir, como a imprensa que busca fazer um trabalho sério.

Não faz muito tempo, o organizador de uma grande festa da região de Campinas (que a Absoluta cobriu), tentando justificar os diversos problemas da sua festa, disse: “Não dá pra fazer uma festa Open-Bar de qualidade, para mais de duas mil pessoas!”. Pois bem, a Festa da Lagoa é uma prova, que além de ser possível fazer uma festa de qualidade, dá pra surpreender até mesmo os mais exigentes, quando o assunto é entretenimento noturno. Então, se vale a sugestão, seria muito bom alguns organizadores de festas da região de Campinas, visitarem as festas promovidas e organizadas pelos sócios Rafael Turíbio, Hugo Gazola, Chetto e Dú Dotto. Quem sabe um estágio com eles, não ajuda a melhorar o trabalho feito na região de Campinas!?

E se ainda cabe um parágrafo, um dos organizados da Festa da Lagoa nos disse: “Essa é a nossa festa econômica. A nossa festa boa de verdade, ainda vai acontecer mais para o fim desse ano!”. É, agora é esperar ansiosamente pra ver esse tal “festa boa”.

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta