Fiat 500




Apresentado em Outubro de 2009, no mercado brasileiro, o Fiat 500 parece já ter conquistado uma legião de fãs no Brasil. A reencarnação do lendário Fiat 500, veio para concorrer no segmento de “Luxo Cult”, segundo a própria Fiat. Seus concorrentes mais diretos são: o Smart e o MINI Cooper.O nome “500” é derivado do motor do modelo original, de apenas 0,5 litro. Em italiano, escreve-se “cinquecento”, e tem uma pronuncia de “tchinqüetchento”.

Estilo e interior

A fiel releitura do 500 é realmente apaixonante. O visual romântico e nostálgico da carroceria é reforçado pelos faróis arredondados, acima das lanternas e os frisos cromados na dianteira que formam um ‘bigode’ e fazem o carro parecer um simpático ‘ratinho’. O tamanho também pesa a favor do chame. São 3,55 m de comprimento, 1,63 m de largura e 2,30 m de entreeixos.

Num primeiro contato com o carrinho e com seu interior, é possível entender os prêmios que recebeu na Europa. A primeira vista, fica o elevado padrão de acabamento. O 500 tem plásticos de encaixe excelente, sem rebarbas, sem falhas, com mínimas distâncias entre as peças. Em ruas esburacadas é onde se nota a qualidade do acabamento interno, que produz pouco ruído.

O painel é outro ponto de destaque. Os mostradores estão todos integrados, com um computador de bordo no centro. Lembra o painel antigo do VW Fox, mas sem aquele aspecto de produto econômico.

O espaço no interior do 500 é relativo. Na frente, ele acomoda muito bem o motorista e passageiro, inclusive os mais altos, com mais de 1,80 m. Já atrás, o banco é realmente apertado. A melhor comparação seria com o banco do tradicional fusquinha. São duas pessoas, de no máximo 1,70m e com pouco conforto. Acessar a parte de trás também não é tarefa muito fácil, já que o carro tem apenas duas portas.O porta-malas também é outro lugar de pouco espaço, com apenas 185 litros. Inclusive, o manual de instruções do 500, vai instalado numa bolsa que fica na lateral do porta-malas.

Todos os objetos no interior alternam entre o clássico e o moderno. O painel traz uma faixa da mesma cor da carroceria, característica típica de carros antigos. O quadro de instrumentos é composto por mostradores analógicos (velocímetro e conta-giros) e digitais (computador de bordo) circulares que resultam em uma combinação bastante irreverente.

Motor e câmbio

O Fiat 500 vem equipado com motor 1,4 litro – 16 válvulas produzido na Itália. Esse motor gera potência de máxima de 100 cavalos, e o seu torque máximo é de 13,4 kgfm a 4.250 rpm. O câmbio manual de 6 marchas é a escolha indicada para quem procura maior desempenho, pois as relações de marchas foram otimizadas para aproveitar ao máximo a potência e o torque do motor. Mas se o foco é a economia, o carrinho não faz feio. Na cidade o 500 rodou quase 10 km/l. E subiu para 14 km/l na estrada, à 120 km/h, com ar-condicionado ligado. Agora, quem procura performance, também não ficara decepcionado. O 500, nessa configuração com câmbio manual, chega a quase 180 km/h de velocidade máxima.

Dirigibilidade

A dirigibilidade do carrinho encanta. O motorista tem ótima posição de dirigir, com volante regulável em altura e distância.  As manobras são fáceis e rápidas, além de uma leveza de conjunto que se percebe no volante. A suspensão também se mostra adequada, conseguindo superar lombadas e valetas sem grandes problemas. De formal geral, o 500 é um carro prático e confortável para quem dirige. No trânsito pesado das grandes cidades, o 500 mostra-se muito útil e confortável.

Segurança

Sob o aspecto de segurança, o 500 da um show. Ele traz freios com ABS, dois air-bags dianteiros, dois laterais, dois de cortina e um de joelho, para o motorista, além de controle de estabilidade. Esses elementos o ajudaram a conquistar a pontuação máxima no rigoroso teste de segurança EuroNCAP: cinco estrelas. Em outras palavras, é mais seguro que muito carro grande. O 500 é um exemplo vivo de que: tamanho não é documento!

Equipamentos

Um dos diferenciais é a função Sport, acionada por uma tecla. Ela altera o mapeamento da centralina do motor, proporcionando uma pronta resposta do acelerador. Também altera a resposta da direção, deixando-a mais esportiva. Com isso, o motorista tem a sensação do carro ficar mais “ágil”. Essa tecla não muda em nada a performance real do carro. Ela apenas muda a forma de resposta do acelerador. Ou seja, o motorista precisa acelerar menos para o carro dar a mesma resposta.

Outro equipamento é o Hill Holder, dispositivo que auxilia o motorista nas saídas em subida ou descida. O carro precisa estar ligado, parado, com a primeira ou a marcha à ré engatada e o pedal da embreagem e do freio pressionados. Numa inclinação, o sistema mantém o freio acionado por alguns segundos. Isso dá tempo ao motorista de tirar o pé do freio, e acionar o acelerador sem deixar o carro “escorregar”.

Outros recursos presentes são: o ar-condicionado digital e automático, computador de bordo, os sete air-bags (entre eles o knee-bag, novidade na linha Fiat, que evita lesões aos joelhos do motorista em caso de impacto) e os faróis de neblina. A versão Lounge traz ainda como itens de série o teto fixo de vidro, banco do motorista com regulagem de altura, banco do passageiro com porta-objetos sob o assento, retrovisores externos elétricos com calotas cromadas, frisos cromados, e volante em couro com comandos do rádio. O pacote opcional traz teto solar elétrico Sky Wind, espelho retrovisor interno eletrocrômico, bancos revestidos totalmente em couro e rodas de liga-leve aro 16 polegadas.

Cores

A versão Lounge está disponível nas cores: duas sólidas (Branco Caldo e Vermelho Sfrontato) e três metálicas (Azul Magnetico, Cinza Sfrenato e Preto Provocatore). Para o interior, o cliente encontra acabamentos diferentes. O tecido Lounge preto e marfim (série) pode ser combinado com as cores de carrocerias branca, vermelha, cinza e preta. Já o tecido Lounge azul e marfim é exclusivo para os veículos com a carroceria azul. A única desvantagem da unidade avaliada do 500, são as partes do interior em tom claro. Eles são bonitos e têm charme. Porém, refletem muita luz e suja com facilidade. Em um dia claro, com céu limpo, é difícil enxergar o painel do carro e o display do rádio.

Preço

O Fiat 500, atualmente é importado da Polônia. Porém, em breve, poderá ser fabricado no México, de onde viria por um preço mais camarada. A versão avaliada tem preço de R$ 65,9 mil. O produto tem como foco clientes que queiram novas experiências, acima dos 30 anos de idade e com certo poder aquisitivo, pertencente às classes A e B.

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!