Ford Focus ST

O Focus ST, primeiro carro de performance realmente global da Ford, teve a pré-venda iniciada este mês nos Estados Unidos, trazendo como atrativos um design e desempenho fora de série e outro atributo especial: o som do motor. Para extrair as frequências baixas que os fãs dos carros esportivos adoram, os engenheiros da Ford adicionaram ao motor um tubo de som especial, chamado “symposer”. O resultado pode ser conferido neste link: Som do Focus ST.

Formado por um tipo de palheta que vibra com a passagem do ar, o equipamento amplifica naturalmente as frequências baixas do motor, na faixa de 200 e 450 Hertz. Assim, ele permite “afinar” o ronco do motor EcoBoost 2.0 de alumínio – com injeção direta de combustível, turbo e duplo comando de válvulas independente e variável (Ti-VCT) –, que gera mais de 255 cavalos e torque de 37,3 kgfm com transmissão manual de seis marchas.

Embora esse conceito de tubo sonoro já tenha sido usado no Mustang, o symposer do Focus ST é único, com uma válvula eletrônica que abre e fecha de acordo com as ações do motorista – velocidade do motor, posição do pedal do acelerador e marcha selecionada. Em marchas baixas, a válvula tem um mapeamento mais agressivo. Nas marchas altas o efeito é oposto, para uma velocidade de cruzeiro mais silenciosa.

O segredo para obter esse efeito foi o desenvolvimento de uma palheta para amplificar naturalmente o som do motor do ST. Os engenheiros da Ford testaram diversos modelos até chegar à palheta com a rigidez ideal para produzir as frequências desejadas.

Nos sistemas de exaustão convencionais, com som passivo, não é possível criar esse efeito. Além disso, o Focus ST usa, pela primeira vez, um symposer acoplado diretamente no coletor de admissão.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta