Independência do Brasil

"Independência ou morte!"
Há 195 anos, Dom Pedro I bradava o grito que ficou marcado na história. Mas antes de se rebelar contra Portugal e marcar o dia 7 de setembro, o Princípe e sua tropa partiram do Rio de Janeiro para São Paulo. Com a ajuda da ViajaNet, elaboramos um roteiro em que é possível seguir os passos do monarca e aprender mais sobre essa época. Confira os principais pontos da cidade relacionados à data.

Parque da Independência


Monumento da Independência

A primeira parada é o Parque da Independência. Afinal, foi na Colina do Ipiranga, às margens do riacho que leva o mesmo nome, que D. Pedro puxou a espada e determinou que o Brasil não seria mais uma colônia portuguesa. Composto por mais de 160 mil m², o local abriga uma grande área verde, além do Museu do Ipiranga e a Casa do Grito, capazes de aprofundar a visão do visitante sobre o fato patriótico com exposições e utensílios reais.

Alocado também no Parque da Independência, o Monumento não pode estar de fora dessa lista, já que indica o local exato do ocorrido. Também conhecido como Altar da Pátria, a escultura foi construída pelo artista Ettore Ximenes em parceria com o arquiteto Manfredo Manfredi em 1926. A cripta acoplada à estátua guarda os restos mortais do próprio D. Pedro I, da Imperatriz Leopoldina e de D. Amélia, a segunda Imperatriz do Brasil.

Pateo do Collegio
Quando desembarcou do Rio para São Paulo, D. Pedro I ficou hospedado no Pateo do Collegio, mesmo local que dava espaço para um teatro chamado "Casa da Ópera". Em seu retorno após o decreto, o jovem foi surpreendido com um salão cheio de pessoas que aplaudiam e gritavam "Viva o primeiro rei brasileiro", em sua homenagem.



Solar da Marquesa de Santos
Na mesma época em que proclamou a Independência, D. Pedro I passou a ter um relacionamento extraconjulgal com Maria Domitila. O Princípe, que até então era casado com a Imperatriz Leopoldina, deu à sua amante diversos títulos, entre eles, Marquesa de Santos. Sempre à frente do seu tempo, a casa que foi de Domitila entre 1834 e 1867 foi palco para diversas festas luxuosas para pessoas importantes da sociedade na época e hoje é sede do Museu da Cidade de São Paulo, que conta com acervos sobre a trajetória da megalópe.

Praça Patriarca
Inaugurada em 1912, a Praça fica bem no centro da cidade, próximo ao Viaduto do Chá. A princípio, o lugar não aparenta ter nenhuma relação com o ocorrido, já que leva o nome de José Bonifácio de Andrada e Silva. No entanto, o que nem todos sabem é que Bonifácio foi a cabeça pensante por trás da separação entre Portugal e as terras brasileiras. Desde 1972, é possível observar uma estátua da autoridade feita de bronze e projetada por Alfredo Ceschiatti.

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta