Las Vegas

Considerada a “Capital Mundial do Entretenimento”, Las Vegas oferece o sonho da maioria das pessoas: divertir-se dia e noite, comer e beber até cansar, jogar nos cassinos e fazer compras, tudo isto concentrado em cenários que recriam as cidades que mais gostariam de visitar.

Em que outro lugar se tem a oportunidade de ver Paris, Veneza, Nova Iorque, o Cairo, Marrakesch, um castelo medieval ou uma batalha de piratas em poucas horas?

Las Vegas é uma cidade que tinha tudo para não ser nada. Mas se tornou exatamente o contrário. É um triunfo do engenho humano. Fundada em 1905 e isolada no meio do deserto, Las Vegas é a cidade que nunca dorme. Joga-se ininterruptamente 24 horas por dia em suas centenas de Slot Machines, mesas de Baccara, Blackjack, Dados, Póquer e Roleta e salas de apostas desportivas – Sports Book (corridas de cavalos, basebol, futebol americano, boxe, entre outros). Para se ter uma idéia de como é difícil cair na tentação do jogo, existem máquinas até dentro do aeroporto. Basta desembarcar para dar de cara com elas. Além dos norte-americanos que invadem a cidade aos fins de semana, Las Vegas atrai, igualmente, milhares de turistas estrangeiros, principalmente os japoneses, e homens de negócios que participam das dezenas de seminários e convenções organizados anualmente nos centros de congressos da cidade. Sua região metropolitana tem cerca de 1,9 milhão de habitantes. A cidade, sozinha, atrai quase 40 milhões de turistas ao ano, ou dez vezes mais do que todas as centenas de atrações turísticas do Brasil.

Seu aeroporto é o décimo mais movimentado do mundo. A indústria que move a cidade não é apenas a do turismo. Vegas também atrai pessoas por ter um conjunto de leis especiais, únicas à cidade, que funcionam como um chamariz para gente de todas as partes. Há isenção de vários impostos, a indústria dos casamentos é outro exemplo curioso: paga-se apenas US$ 55 por uma licença matrimonial, que é expedida no ato, sem demora, comprovações, nem quaisquer outras dificuldades. Até "padrinhos" de aluguel estão à mão de quem quiser. Por essas e por outras é que cinco mil pessoas se mudam para a região a cada mês.

Mas o brilho de Las Vegas está mesmo na noite. É ao cair da noite que neons, reflexos e os efeitos de luz mostram toda a sua beleza. À noite, cassinos, bares e restaurantes ficam lotados e as filas se formam na entrada dos inúmeros shows e espetáculos. A vida em Las Vegas está organizada ao longo de sua maior avenida, a Las Vegas Boulevard – The Strip, onde se localizam os principais hotéis temáticos, como o Mirage Hotel and Casino, o primeiro mega-resort construído na cidade. Na área que recria Veneza, o destaque é o Venetian Resort Hotel Casino. A Ponte de Rialto tem escadas rolantes e o Palácio dos Doges serve de porta de entrada para as lojas do Grand Canal, onde o visitante encontra a recriação dos canais de Veneza e a Praça de São Marcos. É ali que gôndolas deslizam suavemente ao som do Sole Mio num perfeito cenário de cinema.

Quem aprecia a Itália vai adorar o requinte do Bellagio, considerado o hotel mais caro de Las Vegas. Lojas de marca e a magnífica “dança das águas” são alguns dos atrativos do lugar. E por falar em Europa, não deixe de visitar a Paris recriada pelos americanos. Uma subida a Torre Eiffel (com 164 metros, um pouco mais de metade dos 300 metros da verdadeira) é uma boa pedida, assim como a visita ao edifício da Operá e ao Arco do Triunfo do Hotel Paris Las Vegas. O Excalibur pretende reconstruir o mítico castelo de Camelot, com o Rei Arthur e os cavaleiros da Távola Redonda envolvidos num torneio a cavalo, disputado a vista de um banquete. Poderia ser um cenário das Mil e Uma Noites, mas o Aladdin pouco mais tem do que os cenários em tons de ocre de uma pretensa medina de Marrakesch. Efeitos especiais simulam uma trovoada com relâmpagos e chuva.

O Luxor apostou na construção de uma pirâmide negra quase do tamanho da Grande Pirâmide de Khéops e de uma Esfinge em tamanho natural, que serve de entrada principal ao cassino. A pirâmide oferece centenas de quartos e um vasto espaço de divertimentos, lojas, cinemas e restaurantes. O buffet no subsolo recria com algum realismo uma estação arqueológica no Egito.

O Mandalay Bay distingue-se pela qualidade e originalidade dos seus restaurantes: o russo Red Square, com o seu balcão de gelo e 170 tipos diferentes de vodka; o afro-latino Rumjungle, com as suas 150 variedades de rum; o mexicano Border Grill, com as suas muitas tequilas e o nova-iorquino Aureole, com a sua torre computadorizada de 12 metros, que oferece uma seleção de 1200 vinhos.

Já o MGM Grand, o maior hotel do mundo com 5034 quartos, oferece, em pleno cassino, uma inimaginável redoma de vidro com leões verdadeiros (o símbolo da Metro-Goldwyn-Mayer) e que fazem sucesso absoluto no lugar. E para completar, alguns dos mais emblemáticos estereótipos da cultura norte-americana estão reunidos nos 19 arranha-céus do New York, New York – que apresenta uma verdadeira montanha russa, réplicas da estátua da Liberdade e da ponte do Brooklin e um Time Square que é o paraíso dos restaurantes de fast-food.

Las Vegas reserva muito mais do que se espera. Entre os atrativos ainda destacam-se a torre Stratosphere, com 350 metros de altura, e o mais alto restaurante rotativo do mundo, que proporciona um magnífico panorama de toda a cidade. Tudo em Las Vegas é exagerado, deslumbrante e grandioso. Essa é sua marca registrada. O que não falta ali é diversão, existe para todos os gostos. A cidade surpreende, tem brilho e nunca fecha. Enfim, Vegas é única.

texto Isabelle Sabbatini

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta