Mais usuários de internet no Brasil

Please select a featured image for your post

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) anuncia os resultados da 4ª Pesquisa sobre Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação no Brasil (TIC Domicílios 2008). Conduzido pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) e coordenado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), o levantamento, além de apontar as características do acesso à internet no país, traz uma novidade: o mapeamento da área rural.

"Mesmo que a população brasileira resida majoritariamente nas cidades, se analisarmos os dados urbanos e rurais separadamente, percebemos diferenças expressivas. Por esse motivo, decidimos ampliar o escopo da pesquisa. Com isso, também será possível estabelecer uma base de comparação mais consistente da nossa realidade com estudos internacionais ", afirma Juliano Cappi, analista de Informações do CETIC.br.

Assim como em pesquisas anteriores, os resultados indicam que continua em todo o país o avanço das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), que tem presença mais significativa em domicílios com maior renda familiar e localizados nas regiões economicamente privilegiadas.

Segundo dados, a televisão aparece em quase todos os lares urbanos, 98%; seguida pelo rádio, com 87% e telefone celular, com 76%. A tendência de queda no número de telefones fixos e do crescimento da posse de celulares foi novamente registrada, indicando uma mudança de comportamento do usuário. Nos últimos três anos, foi possível notar uma diminuição de 14 pontos percentuais na telefonia fixa no país. Já a proporção de lares com telefone móvel apresentou um aumento de 15 pontos no mesmo período.

Computador e internet

O estudo revela que em todo o país, considerando áreas rurais, 25% dos domicílios possuem computador e o acesso à internet foi identificado em 18% das casas.

Separadamente, os índices mostram que 28% das famílias da cidade possuem computador, enquanto no campo, esse dado cai para 8%. Com relação ao acesso à internet, enquanto 20% dos lares na área urbana estão conectados à rede, somente 4% dos domicílios na zona rural navegam no ciberespaço. Outro destaque é a presença da banda larga nas residências, identificada em 58% na área urbana. O percentual é quase duas vezes maior em relação às conexões dial-up, com 31%.


Apesar da baixa penetração, entre 2007 e 2008, o número de usuários com notebooks cresceu de 1% para 3% nos domicílios da cidade.

A pesquisa ainda mostra que 38% dos entrevistados em zona urbana afirmaram ter usado a internet nos três meses anteriores à pesquisa, sendo que entre jovens de 16 a 24 anos esse número chega a 67%. As regiões Norte e Nordeste apresentaram os menores índices, ambas com 30%.

As lanhouses continuam sendo o principal local de conexão à internet no país, apontados por 48% dos brasileiros. Em segundo lugar, figuram os domicílios, com 42%; a casa de outras pessoas e o trabalho, com 22% e 21%, respectivamente. No campo, a importância das lanhouses no processo de inclusão digital mostrou-se ainda maior: 58% dos internautas navegaram na web através destes locais.

Barreiras

As principais barreiras para a posse e o uso dos computadores continuam as mesma dos anos anteriores: o custo, citado por 75% dos respondentes; a falta de necessidade e de interesse, com 34%; e a falta de habilidade, 29% das citações.

Em relação à conexão, os obstáculos apontados foram o custo, com 54%; locais alternativos de acesso, mencionado por 21%; falta de interesse, 18%, e disponibilidade na área, com 17%. A principal barreira para o uso da Internet continua sendo a falta de habilidade, com 61% das menções.

"Considerando-se a inclusão da análise do meio rural, constatou-se que a falta de pontos de acesso à web nesses locais é um dos principais desafios para a inclusão digital em todo o país", complementa Cappi.

Celular

Na área urbana, o celular está presente em 76% dos lares, enquanto na rural a penetração não ultrapassa 52%. A pesquisa também mostrou que 67% dos brasileiros declararam ter utilizado um aparelho nos últimos três meses, número que chega a 70% na cidade. Isso faz do celular um dos principais vetores de inclusão dos brasileiros no uso das tecnologias de informação e comunicação.

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta