Múmia em 3D

Imagens em três dimensões (3D) divulgadas revelam uma múmia que está lacrada em um caixão por mais de três mil anos. A descoberta foi possível graças a uma avançada tecnologia de diagnóstico médico por imagem desenvolvida pela Philips.

O caixão da mulher egípcia Meresamun, que pesquisadores acreditam que fosse uma sacerdotisa em um templo em Tebes em 800 a.C., é decorado com pinturas elaboradas e está em ótimo estado de conservação. A urna foi mantida intacta e completamente lacrada pelos curadores do Museu Oriental da Universidade de Chicago por mais de 80 anos. Eles sempre relutaram em examinar a múmia com mais profundidade para não colocar em risco o valor histórico da descoberta e suas belas decorações.

Agora, por meio de uma avançada tecnologia de tomografia computadorizada, que também é utilizada para ajudar no diagnóstico e tratamento de pacientes, os pesquisadores foram capazes de, pela primeira vez, mostrar ao mundo imagens em três dimensões da mulher que continua preservada dentro da urna cuidadosamente decorada. Com o equipamento, chamado Philips Brilliance iCT de 256 canais, eles conseguiram obter milhares de imagens a partir das quais foram capazes de criar reproduções 3D altamente detalhadas sem expor os delicados restos mortais.

A tecnologia também permitiu que os pesquisadores vissem “através” da urna até a múmia, ainda envolta em camadas de bandagens de linho. O equipamento é capaz de “descascar” cada camada para revelar seu esqueleto, incluindo o que aparentemente são pedras em suas cavidades oculares e seus órgãos internos restantes, e de dar pistas vitais sobre como ela viveu. Marcas no caixão também sugerem outros fatos importantes sobre sua vida.

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta