Novembro Azul

O Tribunal de Justiça de São Paulo, por meio da Secretaria da Área da Saúde (SAS) e da Escola Judicial dos Servidores (EJUS), realizou na última segunda-feira, dia 7, no Fórum João Mendes Júnior, mais uma edição da Campanha Novembro Azul, com ações de prevenção e combate ao câncer de próstata.
A palestra do especialista Sérgio Bisogni – médico urologista pela Sociedade Brasileira de Urologia – foi acompanhada por 70 servidores e magistrados na Capital e por outros 260 participantes no interior do Estado, via ensino a distância. 
Ele explicou a importância da avaliação clínica periódica para todos os homens acima dos 50 anos. “Mulheres se cuidam muito mais, frequentam os consultórios médicos continuamente a partir da puberdade, são mais atentas aos problemas pontuais de saúde. Já os homens geralmente procuram um especialista após os problemas surgirem e acabam negligenciando a saúde”, afirmou.
Sobre a saúde masculina, Bisogni esclareceu como é realizado o exame através do toque retal e do valor do PSA (antígeno prostático específico), além de traçar um panorama da estimativa anual desse tipo de doença no Brasil. “O exame do toque ainda é necessário porque entre 10% e 20% dos tumores aparecem com PSA normal, ou seja, ele pode dar um falso negativo. Ao somar os dois exames, você reduz a 8% a chance de erro de diagnóstico. São mais de 400 mil casos em pacientes com mais de 45 anos, sendo 46 mil novos doentes a cada ano. Desse total, contabilizamos oito mil óbitos anualmente, um a cada 66 minutos. Por isso é tão importante a avaliação da próstata acima dos 45 anos para pacientes com histórico familiar da doença.” 
O especialista ainda explicou como é realizado o diagnóstico, a importância da detecção precoce (com 90% de cura) e diferença entre impotência e disfunção erétil, andropausa e formas de tratamento. “Crie vínculos com um médico de confiança, com certeza ele terá capacidade para auxiliá-lo. Seja homem, abandone seus preconceitos e se organize reservando um tempo para seus cuidados pessoais. Você verá que com o auxílio de um bom profissional sua saúde física e mental, assim como seus familiares e amigos, ficarão eternamente gratos a você”, concluiu. 
Os participantes também acompanharam o resultado da pesquisa realizada no projeto Combate ao câncer de próstata: conhecendo a opinião dos homens, elaborado em parceria com o Centro Universitário Adventista de São Paulo e sob a coordenação da professora Maria Cecília Leite de Moraes. Ela e o mestre em promoção à saúde Robson Costa explicaram a metodologia utilizada e os resultados alcançados. “Foram realizadas quatro perguntas a 52 participantes voluntários, com idade média de 48 anos. As respostas nos mostraram que o preconceito, ainda evidente, não depende do grau de instrução do participante. Eles sabem do risco, mas a negativa ao exame de toque acaba impedindo o cuidado à saúde de forma correta”, explicou Robson Costa. 
Ao final, os servidores esclareceram dúvidas sobre o assunto e o secretário da SAS, Tarcísio dos Santos, entregou um certificado de participação ao palestrante. A desembargadora Lígia Cristina de Araújo Bisogni também acompanhou o evento. 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!