Novo campus

Please select a featured image for your post

A Universidade Presbiteriana Mackenzie inaugurou nesta quinta, dia 24, as novas instalações de seu campus em Campinas. Com 28 mil m2, a unidade conta com uma estrutura moderna de 62 salas de aula, laboratórios, auditório, biblioteca e estacionamento com 279 vagas. A capacidade é para 3,7 mil alunos por período.

Divididos em três blocos, os prédios um e três possuem oito andares cada um, sendo três subsolos, andar térreo e mais quatro andares. Já o bloco dois, voltado à área administrativa, possui dois subsolos, andar térreo e três andares. "Todo o conforto e a qualidade das instalações permitem consolidar em Campinas o padrão de excelência que o Mackenzie atingiu ao longo dos seus 140 anos, além de ser um atrativo importante para os futuros universitários", comenta Pedro Ronzelli Júnior, Reitor do Mackenzie.

Para o professor Gilson Alberto Novaes, que assumiu a Gerência Geral do Mackenzie Campinas, as novas instalações atendem à grande demanda que a região tem por cursos de graduação e pós-graduação. "Toda a região metropolitana de Campinas tem um potencial enorme para investimento em educação, especialmente quando se trata de instituições educacionais de grande qualidade e com nome já consolidado no mercado", destaca o professor Gilson Novaes.

O Mackenzie Campinas oferece atualmente dois cursos de graduação – Administração e Direito – e seis cursos de pós-graduação lato sensu em Administração, Tecnologia da Informação, Direito, entre outros. "Estudos desenvolvidos tanto da Reitoria quanto da Mantenedora demonstram que há muito a ser explorado na região de Campinas. Por isso, para os próximos anos, a intenção é ampliar a oferta tanto na graduação quanto na pós-graduação do campus Campinas", avalia Pedro Ronzelli Júnior.

Sustentabilidade

Os novos prédios do Mackenzie em Campinas foram planejados seguindo todos os padrões das construções contemporâneas ambientalmente responsáveis.

Em relação à ventilação, os edifícios contam com grandes aberturas frontais, laterais e na cobertura da edificação responsáveis por retirar o ar quente do local.

Para diminuir a necessidade de consumo de energia, a utilização de brise (popularmente conhecido como "quebra sol") contribui para a ventilação natural das salas de aula e área de convivência, reduzindo a necessidade dos aparelhos de ar condicionado.

Já as luminárias são do tipo fluorescente, com menos consumo de energia, se comparadas às tradicionais incandescentes. Na área das lousas, para atingir o índice de iluminação recomendado internacionalmente, foram instaladas luminárias do tipo wall wash, poupando os alunos da fadiga visual causada pelo excesso de reflexo das lâmpadas tradicionais.

Um dos destaques do projeto foi a construção de um reservatório para a captação das águas pluviais. "Além de reutilizar a água para lavagem dos pátios internos e para regar os jardins, o sistema cumpre a função de tanque de retardo. Ou seja, há o acondicionamento das águas pluviais que são enviadas para a rede pública somente após o termino das chuvas", descreve João Batista Torres, Gerente de Projetos, Manutenção e Obras do Mackenzie e arquiteto autor do projeto.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta