Obesidade feminina

Diabetes, infertilidade, ansiedade, depressão, problemas cardiovasculares, cânceres e o aumento da pressão arterial são algumas das possíveis consequências do sobrepeso. No caso das mulheres, a dificuldade para engravidar soma-se a todos esses problemas. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Verhum, recentemente, mulheres obesas submetidas à fertilização in vitro tiveram uma taxa de abortamento espontâneo de 66,6%, contra 17,8% entre aquelas que tinham sobrepeso e 13,8% entre as que estavam no peso normal.
Segundo o médico Leonardo Salles, a complicação, além de dificultar a gravidez natural ou por técnicas de reprodução assistida, também provoca o aumento das possibilidades de aborto, prematuridade, pré-eclâmpsia e infecções pós-parto. “O fator principal que influencia na infertilidade da mulher obesa é o excesso de estrogênio (hormônio sexual feminino), cuja produção está diretamente associada à gordura corporal. O seu excesso causa um desequilíbrio que pode impedir a ovulação, e por consequência, a diminuição das chances de gravidez e instalação da infertilidade”, explica.
Leonardo esclarece que a obesidade abdominal ocorre entre pessoas com circunferência da cintura acima de 88 cm, no caso das mulheres, e de 102 cm, nos homens. “Este tipo também pode causar a diabetes gestacional, desencadeada por alterações no metabolismo materno e agravada pelo ganho de peso excessivo durante a gestação, idade materna avançada e quadro de hipertensão arterial. Na maioria dos casos, a doença desaparece após o nascimento do bebê, mas aumenta as chances da mulher desenvolver doenças cardiovasculares e a probabilidade de voltar a apresentá-la após a menopausa”, aponta.
Uma pesquisa da Agência Internacional para Pesquisa do Câncer, da Organização Mundial de Saúde, e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, constataram que o sobrepeso e a obesidade são causadores dos principais cânceres que atingem a população feminina, como o câncer de colo do útero, endométrio, mama, útero e ovário.
 
 
Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta