Os limites do preenchimento labial

Não é de hoje que o preenchimento labial está em alta. O procedimento que faz sucesso entre as celebridades vem se tornando cada vez mais comum nas clinicas de estética e consultórios odontológicos do país.

Especialista em harmonização facial, Dr. Emanuel Bernardino explica que o procedimento minimamente invasivo consiste na introdução de uma cânula ou agulha que deposita a substância do preenchimento – normalmente ácido hialurônico – nos lábios de acordo com o objetivo e proporções do paciente.

“Existem diversos casos em que o procedimento é indicado, sendo eles o simples desejo estético por falta de volume ou contorno dos lábios, a perda de massa por envelhecimento, a melhora do aspecto de rugas em fumantes ou por idade, a correção de sorriso gengival, e de acordo com o profissional, até mesmo para corrigir assimetrias genéticas ou causadas por traumas, nesse caso, podemos preencher apenas uma área do lábio, por exemplo”, afirma. Mas mesmo para correções, é necessário ter cautela. “Certa vez, uma paciente levou uma foto de seus próprios lábios quando era mais jovem como modelo. O rosto todo havia mudado e para atingir aquele resultado da foto, seria necessário um processo de harmonização em todo o rosto”.

Menos é mais 

Para o Dr. Emanoel, a métrica perfeita na hora de ressaltar a beleza de um paciente é o mínimo para atingir o melhor resultado e ser o mais natural possível. “Devemos respeitar o limite da face sempre, pois quando isso não acontece, certamente fugirá da naturalidade. Para evitar o exagero, é necessário ser ponderado e aplicar uma visão holística de que ‘menos é mais’. Estou sempre estudando para não cometer este tipo de erro, e de fato, nunca aconteceu”, conta o profissional, dizendo que os padrões de beleza em lábios mais buscados em seu consultório são os de Angelina Jolie e Anitta. “Nem sempre é possível, depende da estética de cada rosto”, acrescenta.

Além da proporção estética ideal, outros limites devem ser respeitados. “Existem sim proporções simétricas para a boca, levando em conta a genética do paciente. Mas deve ser considerado também o limite de elasticidade máxima tecidual, pois isso pode acarretar diversas complicações como edemas e ainda pior, a necrose devido a ausência de circulação sanguínea no local”, alerta o odontologista.

Quem já fez o procedimento ou está prestes a fazer, não precisa se assustar. Com parcimônia, é uma técnica segura e poderá gerar no máximo alguns hematomas que sairão com o tempo. “A região dos lábios é bastante sensível e por isso qualquer manobra criará uma espécie de agressão. É indicado colocar gelo para o edema e analgésico para aliviar possíveis dores e desconfortos”, avisa.

Retoques

Considerando variações naturais como a idade e fatores extrínsecos, o ácido hialurônico, substância usada em preenchimentos, é absorvido pelo corpo humano em até 12 meses e aí está a magia deste tipo de procedimento: é absolutamente reversível e pode ser modelado pouco a pouco. “O fantástico da harmonização facial de modo geral é justamente isto. Sempre podemos buscar melhorias e a degradação do ácido varia por local aplicado. Até mesmo a textura utilizada irá variar. Nos lábios, o ácido é bem fluido e fica em uma área que está em constante movimentação. Isso é excelente para quem quer mudar pouco a pouco, que é o mais indicado”, finaliza Emanuel.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!