Parece saudável, mas não é

Uma das primeiras medidas de quem deseja perder peso é trocar o açúcar refinado por adoçante. Segundo a nutricionista Aline Quissak, esta opção é, de fato, menos calórica, contudo, pode causar problemas de saúde, como gastrites e úlceras.
A especialista explica que adoçantes artificiais têm propensão de gerar gases, irritação estomacal e até câncer, mas mesmo os naturais apresentam seus perigos. Isso porque, quando consumimos algo doce, é enviado um sinal químico para o cérebro que faz com que haja uma maior produção de enzimas digestivas no estômago, uma preparação para a alta quantidade de calorias que está por vir. Porém, quando se consume um produto com adoçante, o mesmo sinal químico acontece, uma vez que a língua reconhece o sabor doce. “O problema está no fato desse item não ter calorias, ou seja, quando o alimento chega ao estômago, ele não tem o que digerir e as enzimas e ácidos produzidos em grande quantidade ficam sem função”, ressalta a especialista.
Além disso, o adoçante pode desencadear um aumento da vontade de ingestão de doces. “Quando o estomago percebe que não recebeu o que estava esperando, ele retorna o sinal químico para o cérebro dizendo que as calorias não vieram e pedindo por elas, e isso é traduzido pelo cérebro como ‘fome’. Na tentativa de suprir essa necessidade, o corpo age por impulso, requisitando energia rápida. Ou seja: açúcar”, completa Aline.
A nutricionista também alerta para o fato do Ph desse item não ser compatível com o intestino, matando as bactérias boas, responsáveis pela absorção de cálcio, ferro, produção de imunidade, hormônios do emagrecimento e geração de gases. “E, para completar a lista, o consumo diário de adoçante diminui a imunidade, causando problemas como com rinite, sinusite, gripes e resfriados”, afirma.
Por fim, Aline aconselha: “Precisamos conhecer os alimentos e entender o que estamos ingerindo, para a partir daí escolhermos quais devem entrar na nossa dieta. É melhor comer de forma equilibrada e dar preferência ao açúcar de melhor qualidade, que trará os nutrientes adequados ao corpo, do que simplesmente substituí-lo por algo que a princípio pode parecer saudável, mas a longo prazo terá consequências graves”.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta