Proteção essencial

Para se proteger adequadamente é fundamental saber escolher um repelente, ainda mais quando o assunto é proteção contra o mosquito causador da dengue e do Zika vírus. De acordo com a diretora técnica da Pharmapele, Luisa Saldanha, a Anvisa libera três componentes presentes em repelentes com segurança para as grávidas: DEET, Icaridina e IR 3535, no entanto, eles apresentam diferenças quanto ao tempo de proteção e seu perfil toxicológico.
“Por exemplo, o IR 3535 é o único que, mesmo em concentrações mais altas (20%), pode ser usado por bebês a partir de seis meses. Os outros dois só podem ser usados em crianças a partir de dois anos", destaca.
O tempo de proteção também tem a ver com a concentração desses princípios ativos na fórmula dos produtos, quanto maior a dose, maior a eficácia e duração de proteção do repelente. Produtos com maior perfil tóxico, como DEET e Icaridina, não podem ser administrados em doses muito altas, porque há risco de problemas tóxicos e irritativos à pele, por isso possuem menor tempo de duração. Já o IR 3535 a 20%, tem durabilidade de sete horas.
Luisa explica que uma boa opção é manipular a fórmula. "Com isso, a dose pode ser administrada com segurança, já que nem sempre os produtos industrializados nos informam a concentração dos ativos.
Também é importante porque o repelente manipulado pode associar ingredientes hidratantes, evitando aquele ressecamento que muitos produtos com essa finalidade acabam provocando", destaca.
Ao manipular, para ter ação de hidratação, deve ser usado ingredientes como peptídeos da proteína do trigo, derivados do açúcar (suavizante e anti-irritante), silicone especial e glicerina, que apresenta propriedades hidratantes. 
Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta