Pucón e Puerto Varas

Entrada para a Patagônia chilena e início da região dos lagos, no meio dos Andes, a cidade de Pucón, localizada na 9ª região no Chile, é considerada uma estância de inverno em qualquer época do ano, um destino ainda pouco explorado e que já conta com infra-estrutura para conquistar turistas ávidos por belas paisagens. Na 10ª região, a cidade que chama atenção é Puerto Varas, erguida às margens do Llanquihue, o segundo maior lago do Chile, e com ruas repletas de rosas. Em comum, vulcões, lagos, esportes de aventura, paisagens incríveis e turismo para todos os gostos o ano inteiro.

Construída aos pés do vulcão Villarica, Pucón é uma cidade pequena e aconchegante, com casas em arquitetura de estilo europeu, com fachadas em madeira. A população de cerca de 20 mil pessoas é formada por mestiços de índios e espanhóis e chega a triplicar durante a temporada de esqui. O artesanato típico, produzido pelos representantes da cultura mapuche, é muito forte e pode ser encontrado por toda a cidade. Um dos destaques da arte local fica por conta das flores, feitas por um tipo de bambu encontrado na região e que parecem naturais até se chegar bem perto. Os bosques gelados e silenciosos são um convite para quem busca tranquilidade e deseja curtir bons momentos a dois. Uma das visitas obrigatórias é o Parque Nacional de Villarica, o maior do Chile, e a cidade de mesmo nome, que fica do outro lado do lago.

Puerto Varas é uma cidade com características parecidas com Pucón, fundada em 1853 e que possui cerca de 32 mil habitantes, descendentes de alemães. Às margens do lago Llanquihue e de frente para o vulcão Osorno, a cidade traz construções de madeira que lembram casas de bonecas e são reconhecidas como monumento nacional. No centro comercial, estão os melhores hotéis e restaurantes e nos finais de semana, a feirinha de artesanato.

Adrenalina e aventura

As duas cidades chilenas oferecem atrações para os turistas que não gostam de ficar parados. Em Pucón, os esportes sobre a neve são a principal atração durante o inverno, com descidas radicais nas encostas do vulcão Villarica. Além da encosta, há na região mais de 20 half-pipes, o que permite a prática de snowboar. Para facilitar a locomoção, ônibus e vans saem da cidade em direção à estação de esqui todos os dias, sempre respeitando o clima. Um teleférico de 400 metros leva os esquiadores ao topo da estação, onde há instrutores.

Os ávidos e corajosos podem ter um desafio ainda maior: subir ao topo do vulcão, um passeio recomendado com guias. São quatro horas de caminhada e escalada no gelo em direção à cratera do Villarica. No topo, a recompensa por tanto esforço é observar gelo e fogo juntos, um espetáculo natural para ficar na memória. Ao redor dos 300 metros de diâmetro da cratera principal é possível também avistar outros dois vulcões, Osorno e Pontiagudo, muitas montanhas e vales e grande parte do lago Villarica, além das cidades de Pucón e Villarica.

Em Puerto Varas, além do montanhismo e esqui, os destaques de esportes de aventura acontecem no lago Llanquihue e também no Parque Nacional Vicente Pérez Rosales, o primeiro criado no Chile. É neste parque que fica o lago Todos os Santos ou Esmeralda, por sua água verde-esmeralda. Em seu entorno, há relevos de vulcões e montanhas, bosques nativos e rios. São vales, cachoeiras, fauna e flora nativas que encantam os olhos e promovem atividades cheias de diversão e aventura.

O vulcão Osorno, que fica em Puerto Varas, é conhecido como hueñaca (perigo nas alturas) pelos primeiros habitantes da região. O Osorno tem escalada recomendada apenas entre novembro e dezembro, com uma subida ao topo que leva em média de seis a sete horas. Lá, também é possível praticar mountain bike, trekking ou canopy.

Ainda na região, está o vulcão Calbuco, com mais de dois mil metros de altitude e formações irregulares. Durante o dia, só é possível ir a cavalo e com orientação de guias locais. Do cume, é possível ter vistas panorâmicas do vulcão Osorno e dos Lagos Llanquihue e Todos os Santos. O trajeto termina em uma queda d’água, que nasce no Calbuco.

Lagos: descanso e diversão

As duas cidades trazem rios, cachoeiras e lagos lindos e que compõem paisagens únicas. Nas estações mais quentes, são eles que promovem a maior parte das atividades. Para quem busca mais tranquilidade, as sugestões são pesca esportiva e também banhos termais, com águas aquecidas pela encosta dos vulcões e que podem atingir até 50° C nas nascentes. Ao se misturar com águas frias, se tornam verdadeiros ofurôs naturais, com temperaturas médias entre 30° e 40°. Para os turistas que preferem mais agitação, as opções são os esportes náuticos, como esqui aquático, natação, rafting, windsurf, tirolesa e passeios de lancha.

Em terra, passeios a pé, a cavalo ou com mountain bikes levam aos bosques, vulcões ou aos parques, onde há estrutura para arborismo e trekking. Também é possível realizar um passeio off-road por terrenos acidentados em muitas trilhas localizadas na região. Conhecer as cavernas basálticas ao redor de Villarica é atração obrigatória. Trata-se de uma única caverna com muitas entradas, saídas e galerias abertas há milhões de anos pelas lavas do vulcão. As paredes são ocas e, quando batem com a mão, as pedras fazem barulho. Há apenas mais uma caverna desse tipo no mundo, na África.

Para os visitantes que desejam outros tipos de atrações, há museus, cassino, pubs e restaurantes como programas mais urbanos. Para completar, Puerto Varas apresenta a Iglesia Del Sagrado Corazón de Jesus, construída em 1913 e ícone da cidade. É uma réplica fiel da igreja Mariekirche, da Alemanha.

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta