Questão de exclusividade

O ato de personalizar algo confere um “quê” de charme e originalidade. E isso é fato. A customização, que já era praticada por algumas marcas, ganhou força e, hoje, muitas outras de renome, nacionais e internacionais, passaram a oferecer o serviço, conquistando ainda mais seus clientes. Dessa forma, pode-se observar o fim da padronização e o zelo pelo gosto individual de cada um.

A palavra “exclusividade” está intimamente ligada ao luxo. Mas, essa relação não está entre as explicações para a tendência de customizar, assim como afirma Carlos Ferreirinha, fundador presidente da MCF consultoria e sócio fundador da Bento Store. “Não acredito que seja do mercado de luxo, mas definitivamente a atividade do luxo tem a customização e personalização como fortes elementos de diferenciação dos seus produtos e serviços, faz parte da essência”, explica, lembrando que o luxo é o exercício máximo do excepcional, do extraordinário. “Faz parte da história do luxo ter os produtos e serviços no nível total da personalização. No passado foi muito maior, chegando em algumas marcas a ser dominante. Nos tempos atuais, ganha volume e esta é uma das razões pelas quais há um forte retorno a estes princípios de diferenciação” acrescenta.
Entre as marcas de luxo que investiram nesta ideia, estão a Burberry com seus echarpes, Gucci com calçados e bolsas e Diesel, que, durante as Olimpíadas no Brasil, montou um Denim Master Studio para personalizar os jeans da marca. Nesse caso, deixa-se claro o conceito “artesa-nal”, da individualização, da busca constante do encantamento. Sem contar que as peças destacam o usuário em um patamar elevado. Vale ressaltar que marcas brasileiras, como Schutz e Arezzo, também entraram nesta tendência; e as tradicionais, Louis Vuitton e Goyard, já trouxeram para o Brasil seus ateliers de customização, onde as clientes podem mandar imprimir suas iniciais em bolsas, malas e pastas. Assim, o produto ganha uma diferenciação única e assegura um apego ainda maior de quem o compra, uma vez que garante que pouquíssimas mulheres usem o mesmo acessório.
Outro exemplo bastante comum são as famosas pulseiras de marcas como Pandora e Vivara. Vendidas sem nenhum tipo de adorno, os acessórios oferecem a possibilidade de as consumidoras escolherem quais berloques desejam comprar para que componham a marca pessoal de cada uma. Neste caso, o conceito de customização vai além da preferência por determinada cor ou formato: a pulseira se torna uma expressão dos gostos individuais e da história de vida de sua dona. Dessa forma, pingentes representando lugares do mundo, instrumentos musicais, letras, animais e diferentes acessórios unem-se para expressar um trajetória pessoal.
Para o especialista em mercado de luxo, a vontade de acessar o sentido real do exclusivo é o que faz com que aumente a procura por itens personalizados. É, sobretudo, prazeroso. A proposta do serviço único vai ao encontro da necessidade atual do mercado brasileiro de luxo, que é, segundo Ferreirinha, “cuidar dos clientes”.

Além da moda
O ato de produzir peças exclusivas não está restrito ao mercado da moda. Empresas dos mais variados setores fabricam produtos sob medida — e invertem a lógica de produção. Computadores, cosméticos e chocolates são algumas das possibilidades menos comuns, mas ainda assim presentes.
Na fábrica da Whirlpool, na cidade catarinense de Joinville, por exemplo, se produz cerca de 15 mil refrigeradores por dia. Enquanto boa parte dos 7 mil funcionários se dedica a fabricar as tradicionais geladeiras brancas, um grupo de dez pessoas deixa de lado a produção em massa para cuidar de itens sob medida. São geladeiras em cores como azul-turquesa e que podem ter mais de 25  mil configurações de portas, prateleiras e puxadores. Além dos refrigeradores, a empresa permite a personalização de fogões e  máquinas de lavar louça. Somados, os eletrodomésticos feitos sob encomenda representam uma parcela ínfima das vendas da companhia, mas são considerados fundamentais para o futuro dos negócios.  
É importante destacar que a customização não se refere apenas ao universo feminino, se estendendo, também, às preferências masculinas. A Nike, por exemplo, é uma das marcas que oferece a possibilidade de personalizar uniformes de time, incluindo nome, número, brasão e bandeira da forma como o consumidor preferir. A loja também permite que se escolha combinação de cores para calçados. Além disso, montadoras de veículos já investem no conceito. Hoje, o 500, da Fiat, possibilita que o comprador escolha as cores, adesivos e outros itens exclusivos.
Os relógios já estão dentro desta tendência há muito tempo. Mas, se antigamente era oferecida a possibilidade de escolher apenas a cor das pulseiras, atualmente algumas marcas vão muito além. É o caso da suíça Jaeger-LeCoultre, que oferece três técnicas de personalização: gravação de nomes, iniciais ou datas; cravação com pedrarias; e esmaltação com a reprodução de desenhos e pinturas.
O mesmo se repete com empresas de malas, canetas, joias etc. As opções são infinitas e devem continuar prosperando. Esta é nossa aposta!
 
Feito especialmente para você



 
No site americano da Dell , é possível personalizar seu notebook, escolhendo desde a configuração da máquina, até a estampa  que irá cobrir a tampa.
 
 
 
 
No site do modelo 500, a Fiat possibilita que o consumidor monte seu próprio carro, escolhendo a cor, revestimento, acessórios e opcionais. O tempo de espera varia. Vale consultar antes.
 
  
A Brastemp lançou o site You, que permite personalizar eletrodomésticos da marca. Que tal uma geladeira com a porta superior na cor azul, a porta inferior roxa e o puxador laranja? Você pode montar uma geladeira assim. Também dá para incluir seu nome no eletrodoméstico, como a assinatura de uma obra de arte.
 
 
A centenária Henri Bendel oferece agora bordados personalizados em bolsas, necessaires, capas de celular, sacos de tecido e outros acessórios. Os monogramas podem ser feitos na hora, em lojas selecionadas da grife.
  
 
A americana J.Crew vende peças personalizadas pelo e-commerce da marca. Lá, é possível escolher a cor das bolsas, adicionar monogramas e anexar itens extras, como tags, porta moedas e pompons. 
 
  
 
 
 
A Louis Vuitton oferece personalização em hot stamp, um carimbo que, por calor e pressão, cria um relevo no couro. O diferencial é que o serviço é cortesia. É só levar a mala ou bolsa na loja e pedir que estampem as suas iniciais.
 
  

 
A Nike criou NIKEiD, um site para personalização de tênis adultos e infantis. É possível customizar vários detalhes dos calçados, alterando cor do solado, símbolo da marca, cadarço e até incluir o nome ou o monograma do dono.
Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!