Tendências mundiais

O mercado de perfumes está sempre evoluindo e as novidades não param de chegar às prateleiras. A especialista em perfumes e consultora Alessandra Tucci, que representa com exclusividade no Brasil a escola francesa Cinquième Sens, pontua três tendências mundiais que você precisa saber antes de escolher o seu próximo perfume.

Perfumes unissex

No momento em que o mundo cada vez mais discute sobre os gêneros humanos e como lidamos com as diferenças, uma das mais fortes tendências em perfumaria são os perfumes sem gênero, também chamados de genderless. Ou seja: são unissex.
Esse movimento, que não determina se o perfume é feminino ou masculino, está mais perceptível e estimulado pela perfumaria de nicho, segmento que se caracteriza por criações mais conceituais e exclusivas, com marcas como as francesas Dyptique e Frederique Malle, além da linha Les Exclusifs, da Chanel. E é justamente essa conduta, junto com as reflexões e o momento do mundo, que tem influenciado bastante o comportamento das marcas. Tanto que, no mercado internacional, temos o lançamento CK2, da Calvin Klein, reforçando o posicionamento unissex da marca que é uma das mais queridas dos brasileiros; além do exclusivo Eau de Cartier, da Cartier, na versão eau de parfum (mais concentrado). Se essa moda pega mesmo, já pensou que libertador será ter mais opções de perfumes unissex?

Ingredientes em destaque

Outra tendência é a valorização de um ou mais ingredientes do perfume, de forma que seja possível perceber, através do olfato, a presença desses ingredientes em destaque na fragrância. E uma das flores em evidência tem sido a rosa, como vemos na perfumaria de nicho, com o Rosa Nobile, da italiana Acqua di Parma, ou em marcas mais modernas como a nova variante do Flowerbomb, da Viktor & Rolf, e também na versão rosa do ‘blockbuster’ La Vie est Belle en Rose, da Lancôme.  E para quem prefere uma rosa ainda mais fresca, a já tradicional linha Cool Water, de Davidoff, criou um mar de rosas com a variante Sea Rose. 
Por incrível que pareça, hoje, no Brasil, poucas marcas trabalham sob esse ponto de vista. A Natura, com a linha Esta Flor, é uma delas, que conta com as variantes íris, rosa e flor de laranjeira. A L’Occitane Provence também atua com seus produtos verbena, lavanda, flor de laranjeira, entre outros. Esta tendência valoriza a conexão entre as fragrâncias e os ingredientes que o produto comunica no nome, na embalagem e no conceito. 

Florais em alta

Fica para trás o tempo que só se encontrava flores superornamentadas, coloridas e cobertas por notas frutais e ingredientes gourmands (muito doces). Agora, elas aparecem mais naturais, simples e perceptíveis na sua essência. Nessa direção, o floral verde se destaca e volta às tendências com fragrâncias que retratam o cheiro da seiva, das pétalas, folhas e frutas verdes crocantes, que possuem efeito mais leve, sofisticado e fresco. Um exemplo é o My Lily, novo lançamento de O Boticário, que foge dos estilos mais conhecidos da perfumaria feminina. Na perfumaria internacional, marcas de sucesso trazem alternativas nesse estilo, como a versão eau de toilette (água de banho) do Love Story, da Chloé, e o J´Adore Lumière, da Dior.
Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta