Vale & Conhecimento Vivo

Aconteceu de 8 a 12 de dezembro, o projeto Conhecimento Vivo, idealizado por Alice Carta Promoções, com o patrocínio da Vale.

A série foi voltada, principalmente, para as pessoas que estão no processo ou finalizaram uma etapa profissional e desejam encontrar inspirações, novos caminhos, incentivos, ideias e interesses por temas diferentes na cultura. “A gama de atrações culturais foi diversificada no Conhecimento Vivo para ampliar as possibilidades daqueles que buscam as artes como uma nova opção para preencher o tempo livre”, contou Alice Carta.

As promoções aconteceram no Teatro JDA, MUBE, Centro de Cultura Judaica e nos SESCs Ipiranga, Pompéia, Santana e Vila Mariana, com entrada franca e apoio do SESC-SP.

Os 26 eventos de 7 núcleos culturais tiveram debates referentes a Artes Visuais, Cinema, Teatro, Dança, Literatura, Circo e Música.
 
Como curadores, Ismael Guimarães de Oliveira (Cinema e Artes Visuais), Zélio Alves Pinto (Literatura e Teatro), Paulo Abrão Ésper (Música, Dança e Circo).

Foram abordados temas sobre Literatura, O Autor e seus Mundos; Teatro, O Ator e seus Personagens; Música, A música e suas expressões; Artes plásticas, O Pintor e seus Cenários; Circo, Clássicos do Circo; Dança, A Dança e seus Movimentos e Cinema, O Diretor e suas Histórias.

O sucesso foi total, pois convidados como Ignácio de Loyola Brandão, Marcelo Rubens Paiva e Ricardo Viveiros, em Literatura, agradaram, sobremaneira; no Circo, os Parlapatões com o espetáculo Os Clássicos do Circo, aplaudidos; no teatro, as inigualáveis Beatriz Segall, Karin Rodrigues, Miriam Mehler e Marta Góes fizeram leituras dramatizadas de textos do teatro brasileiro. Também, na música La Traviata, Quarteto Aureus e Paulo Gazzaneo, Orquestra de Câmara Engenho Barroco e o espetáculo Nas Ondas do Rádio, foram soberbos.

No quesito dança De. Gelo e a Donzela Guerreira, foi agradável. Nas Artes Plásticas artistas como Antonio Hélio Cabral, Antonio Peticov, Claudio Tozzi, Ivald Granato, José Roberto Leonel Barreto, José Roberto Aguilar, José Zaragoza, Luiz Paulo Baravelli, Tomoshige Kusuno e Zélio Alves Pinto, receberam cumprimentos merecidos.

No Cinema, a exibição dos filmes: Ginger e Fred, Diretor Frederico Fellini (Itália, França, Alemanha 1986); Morangos Silvestres, Diretor: Ingmar Bergman (Smultronstället, Suécia, 1957); Chuvas de Verão, Diretor Cacá Diegues (Brasil, 1978); Umberto D, Diretor Vittorio De Sica (Itália, 1952), deixaram os cinéfalos boquiabertos. Isto foi documentado em vídeo, com três mil cópias que serão distribuídas em bibliotecas e associações.

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!