XII Festival Hercule Florence amplia acesso à arte

O Festival Hercule Florence, sediado em Campinas, chega à sua 12ª edição em 2021. Utilizando a fotografia como forma de pertencimento e valorização da identidade cultural, o evento, que propõe atividades educativas e inclusivas, esse ano fará ações descentralizadas, exposições e instalações em espaços públicos ao ar livre em diferentes regiões da cidade, além de atividades on-line devido à pandemia. O Festival começou no último dia 21 e segue até 31 de março.

Para a curadora do Festival, Rosely Nakagawa, o grande desafio é ampliar a cultura para todas as regiões da cidade, além de valorizar produções com pouca visibilidade, mas grande conteúdo cultural. “Esse é o nosso objetivo principal. A escolha dos temas e atividades tem a missão de colocar a inclusão em prática, expandindo nosso raio de ação e valorizando todos os tipos de olhares”, explica.

O Festival envolve cerca de 200 profissionais, e com o modelo virtual, a proposta é encurtar distâncias no Brasil e no exterior, levando conhecimento para todos os cantos. A iniciativa foi fomentada com recursos da Lei Aldir Blanc (edital ProAC Expresso LAB), por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. “Teremos artistas de diferentes lugares do mundo participando de forma on-line, o que permite, apesar do isolamento, uma aproximação de conhecimentos”, reforça o criador do Festival, Ricardo Lima. “Esse ano nosso desafio é enorme já que a fotografia envolve fisicalidade, ou seja, parte dela é matéria, papel. Além disso, o Festival é conhecido pelas relações e trocas que acontecem nos mais diversos momentos da sua programação. Mas assim como a pandemia mudou as relações, as plataformas digitais se mostraram muito capazes de aproximar realidades e discussões”, completa a curadora.

Fotografia e Educação
Outro destaque é o Webinário “Quem olha, o que vê?”, que ocorre entre os dias 20 e 27 de fevereiro e que será direcionado a educadores, estudantes e pesquisadores dos cursos de Pedagogia ou Licenciatura com o objetivo de, por meio de palestras e relatos de experiências, dividirem aprendizados fora dos muros da escola. “A ideia é trazer para a discussão, práticas da fotografia e audiovisual que não necessariamente estejam ligadas às disciplinas de artes, mas que possam tangenciar outros campos do saber como física, geografia e ciências”, explica a coordenadora artística e produtora executiva, Ana Angélica Costa.

“Já os vídeo-relatos, que irão contar as experiências de professores que já fazem o uso da fotografia em suas práticas, têm o objetivo de expor tais vivências que muitas vezes não são evidenciadas e discutidas. Consideramos esses momentos de troca extremamente essenciais para o conhecimento e enriquecimento da prática, por isso daremos voz a esses professores”, completa. Toda a programação pode ser conferida e as inscrições podem ser feitas pelo site: www.festivalherculeflorence.com.br

foto: Ale Ruaro

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!