Dicas para fazer o apartamento pequeno parecer mais amplo

Cada vez mais, empreendimentos residenciais ofertam ao mercado imóveis com metragens reduzidas. Em sua maioria, apartamentos adquiridos na planta e que, depois de entregue pela construtora, se revelam um grande desafio para os moradores. Afinal, como organizar tudo de forma tão compacta?
“Sem dúvidas, o proprietário de um apartamento pequeno deve dedicar um pouco mais de atenção nas decisões”, enfatiza o arquiteto Renato Andrade, sócio do Andrade & Mello Arquitetura. Afinal, para mantê-lo sempre otimizado, e ao mesmo tempo, decorado e confortável, é preciso buscar boas soluções.

Se antes o perfil dos moradores de imóveis pequenos era voltado para jovens casais, essa realidade mudou. Pessoas solteiras que apostam em seu próprio apartamento ou profissionais que mantém dois endereços – uma casa espaçosa no interior durantes os finais de semana e um apto de metragem reduzida mais próximo dos compromissos de trabalho –, ampliam a demanda por esse tipo de edificação. “Nosso principal desafio no escritório é proporcionar uma vivência aconchegante e sem a sensação de aperto. E eu afirmo, é possível eliminar a impressão de que se está em um lar com pouca metragem”, relata Erika Mello, arquiteta e parceria de Renato no escritório.

Foto: Luis Gomes

Experientes, a dupla preparou algumas dicas que contribuirão para o sucesso dessa missão. Acompanhe:

1)    Aposte em ambientes integrados

De tendência, a integração se tornou uma decisão que veio para ficar! Especialmente em ambientes pequenos, a conexão auxilia de forma eficaz alcançar a sensação de amplitude que, muitas vezes, um cômodo com paredes limita. Em linhas gerais, a integração cria uma atmosfera melhor ao todo, facilitando a rotina dos moradores.

Para a arquiteta Erika Mello, além de eliminá-las, usar o mesmo piso é outro recurso que ajuda nessa conexão. “Quanto mais paredes, menos amplitude. Mas é necessário atentar-se à estrutura do imóvel, que não pode ser colocada em risco. Algumas paredes exercem função estrutural e não podem ser eliminadas”, alerta a profissional. Vale estudar todas as possibilidades que propiciem uma arquitetura de interiores mais receptiva e prazerosa de se estar.

Foto: Luis Gomes

 

2) Invista na marcenaria planejada

Cada centímetro do apartamento contribui para o bem viver. Portanto, um mobiliário bem desenhado e com alguns truques pode fazer com que o imóvel seja ainda mais funcional e pareça muito maior do que realmente é! Para isso, planejamento é palavra de ordem.

Antes de qualquer aquisição de móveis ou intervenções, é importante contatar um profissional de arquitetura que entenda as demandas, oriente e traga novos olhares. De acordo com Renato, listar as necessidades e priorizar o que é mais importante se enquadram como o primeiro passo. “Sempre que possível, batemos na tecla de que a marcenaria equaciona boa parte das questões de um apartamento pequeno. É possível fazer um armário do quarto ou da cozinha por meio de pequenos nichos ou até mesmo projetar uma sapateira em um espaço atrás da porta. São infinitas soluções que contribuem positivamente com o espaço”, explica.

Foto: Emerson Rodrigues


3)    Organize-se

Ambientes desorganizados e lotados de itens não transmitem bem-estar e comodidade e, em espaços menores, isso pode ser ainda mais evidenciado! Portanto, uma mudança de mindset também acompanha o projeto: ter apenas o que é fundamental.

O ato de projetar proporciona algumas formas de guardar objetos e até inseri-los na decoração de um ambiente. Segundo a arquiteta Erika, caixas e compartilhamentos internos em estantes, guarda-roupa ou closets podem ser uma opção. “Sempre aconselho que os moradores evitem o hábito de acumular, que é muito comum em nós. Desta forma, o realce fica para aquilo que realmente tem relevância, além de manter o respiro no local”, finaliza.