4 cuidados para proteger a pele no verão

As altas temperaturas do verão são um prato cheio para quem gosta de curtir o período (dessa vez sem aglomerações) na praia, piscina ou tomando um banho de sol, mas também exigem cuidado para quem fica dentro de casa ou no trabalho com o ar-condicionado ligado. 

De acordo com especialistas, algumas dicas e orientações ajudam a proteger a pele tanto na praia e piscina como dentro de casa e do escritório. “A primeira delas (e a mais importante), que serve para todas as situações, é a proteção solar. Sem ela, não há pele que resista às altas e baixas temperaturas, ar seco e muito sol”, explica a consultora executiva em estética e inovação cosmética Isabel Piatti. “A principal fonte de moléculas reativas (radicais livres) é a radiação solar, tanto UVA quanto UVB. Elas levam ao envelhecimento precoce da pele, doenças de pele, hipercromias – manchas escuras – e até câncer de pele, além de possuírem efeito imunossupressor”, afirma o farmacêutico Maurizio Pupo, 

Ar-condicionado — De modo geral, qualquer ambiente que conte com esse aparelho sofre com a redução da umidade do ar e, com isso, a pele e os cabelos ficam mais ressecados. O hidratante é o produto número um para ajudar nessas circunstâncias. O recomendável é aplicar uma boa camada de hidratante no rosto e nas mãos, além de creme para a região dos olhos, para evitar o ressecamento. “Se o período com o ar-condicionado ligado for longo, borrife água termal no rosto, por várias vezes, isso ajuda a manter a pele hidratada contra o ar seco. E é importante lembrar de beber muita água”, recomenda a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Mesmo dentro de casa ou do escritório, é essencial a aplicação de protetor solar com o fator mínimo de proteção (FPS) de 30. É muito importante que o filtro tenha alta proteção UVA, que ultrapassa vidros das janelas e provocam o envelhecimento precoce da pele e o câncer de pele”, ensina a dermatologista Paola Pomerantzeff. “Os lábios também precisam de proteção, é importante utilizar protetor labial”, afirma a dermatologista.

Exposição solar direta — A exposição solar direta é importante para a produção de vitamina D, mas não pode haver exageros. O ideal é se expor ao sol antes das 9h e após as 16h, mas sem abrir mão da proteção solar com filtros físicos, mesmo na sombra. “Em peles mais claras, o indicado é utilizar filtro com FPS a partir de 50 e reaplicar o produto a cada duas horas, inclusive um específico para os lábios. Pessoas com pele clara devem ter cuidado extra, em relação à proteção, mas pessoas de fototipos mais altos também não podem deixar de usar o filtro solar”, afirma a dermatologista Claudia. “Use o filtro solar com bloqueador físico à base de Dióxido de Titânio, Óxido de Ferro e Zinco, especialmente sem óleo, para as peles oleosas”, diz. “Quando falamos em fotoproteção, não estamos apenas nos referindo ao uso do filtro solar. Mas, sim, a um amplo conceito de proteção solar, que inclui chapéu, óculos escuros, sombras artificias e uso de roupas com proteção UV”, afirma o dermatologista Daniel Cassiano. 

Banhos de mar – O maior cuidado continua sendo o uso do fotoprotetor (e atenção: você precisará reaplicar após sair da água). Também fique sempre atento se a água está própria para banhos de mar. É preciso se atentar, também, a algumas questões que trazem danos à pele. “É importante mencionar a possibilidade de contrair infecções, provocadas por fungos e bactérias presentes na areia. A pele pode sofrer com micoses, que se alimentam da queratina na epiderme”, afirma Claudia. A médica destaca que as virilhas e pés são as regiões mais afetadas, mas não são as únicas a serem atingidas. Por isso, é importante priorizar a higiene e não ficar muito tempo com os trajes de banho molhados. No caso da água do mar imprópria para o banho, existe o risco de contrair doenças de pele, por causa da presença de fezes, urina e lixo, por exemplo. Se houver alguma ferida ou corte na pele, o contato com a água do mar pode contribuir para o surgimento de micoses. “Nesse caso, o melhor é evitar”, diz Claudia. Agora, se a água estava própria e você usou certinho o protetor, depois de tirá-lo e tomar banho, sua pele precisará ser hidratada.

Banhos de piscina – Segundo Claudia Marçal, antes de entrar na piscina, é necessário evitar o uso de esfoliantes e sabonetes abrasivos, o que pode tirar a proteção natural da pele. “Após o banho, é recomendável limpar a pele, para remover as impurezas, utilizar tônico ou demaquilante”, afirma Paola Pomerantzeff, que ainda destaca a importância de usar hidratantes pós-sol, com efeitos calmantes e cicatrizantes. “É essencial também ingerir muita água, antes e durante o banho de piscina, o que mantém a hidratação do corpo. Não se esqueça de proteger os cabelos também com produtos que neutralizam os efeitos do sol e do cloro da piscina”, diz Paola.

Os médicos entrevistados indicam, especialmente, os produtos das marcas Ada Tina Italy e Buona Vita.

 

 

Nenhum Comentário Ainda

Deixar uma Resposta

error: Content is protected !!