Bellini Ristorante promove Festival Catena

Com uma das adegas mais completas do interior de São Paulo, o Bellini Ristorante, da Rede Vitória Hotéis, em parceria com a importadora Mistral, realiza até o final de julho um evento voltado para os amantes do vinho. O Festival Catena reúne três rótulos da principal produtora argentina: Angelica Malbec, DV Catena Malbec e Catena Malbec – com preços abaixo do mercado e propícios para harmonizações com diversos pratos servidos pela casa.


Um dos grandes clássicos da América do Sul, o Angelica Malbec, é produzido em Mendoza é voltado para o mercado interno argentino, onde é cultuado e se esgota rapidamente, alcançando altíssimos preços em safras antigas. As uvas vêm de vinhas selecionadas, plantadas em grande altitude e com rendimentos muito baixos, que dão origem a um vinho muito complexo e exuberante, com excelente presença de boca e longa capacidade de envelhecimento. Ele é ideal para acompanhar Carnes grelhadas e queijos.

Outra estrela da nova linha premium de Catena Zapata, o DV Catena Malbec mostra grande complexidade, resultado dos dois excelentes vinhedos utilizados na produção. Esbanja uma cativante fruta, com ótima profundidade. No palato é longo e saboroso, mostrando porque desde seu lançamento já é considerado um dos melhores Malbecs da Argentina. É ideal para acompanhar carnes, cordeiro e alta gastronomia.

Por sua vez, o Catena Malbec é um vinho tinto que mostrou ao mundo o potencial da casta Malbec para originar vinhos de classe mundial. A safra 2015 conquistou novamente 91 pontos de Robert Parker, que destacou seu palato “muito equilibrado, elegante e sutil, com taninos muito finos”, além da excelente qualidade pelo que custa. Intenso e concentrado como os grandes tintos argentinos, o Catena Malbec mostra uma complexidade impressionante, raramente encontrada no continente. Eleito mais de uma vez um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” (safras 2002, 2007 e 2009) pela Wine Spectator, é uma referência absoluta. Ideal para ser apreciado com carnes e grelhados.

É possível definir Catena Zapata em apenas uma frase. O melhor produtor da Argentina. Quem afirma são os críticos. O produtor foi o grande pioneiro de qualidade em seu país, ao elaborar na década de 1990 os primeiros vinhos argentinos em pé de igualdade com os melhores vinhos do mundo. Os consagrados Catena Alta, Catena Zapata, Malbec Argentino e Nicolás Catena Zapata são exemplos dessa época e verdadeiras obras-primas na atualidade.

Catena também foi o responsável pelo ressurgimento da Malbec. Ao realizar a primeira grande seleção clonal da uva, deu uma nova dimensão a essa variedade, que cultivada nos vinhedos de altitude da família passou a produzir tintos de Malbec absolutamente fantásticos, incrivelmente aromáticos e com taninos sedosos, em um estilo que serviu de inspiração a outros produtores, inclusive na França, berço da variedade. Em 2020, Catena recebeu da Drinks International Magazine o título de “A marca de vinho mais admirada do mundo”, coroando a trajetória meteórica da mais premiada vinícola da América do Sul.


Com a fundação do Catena Institute of Wine, em 1995, a vinícola deu início a um extenso e profundo estudo do vinhedo Adrianna, a menina dos olhos do produtor. Situado no Valle de Uco, a 1.500 metros de altitude, nos sopés dos Andes, o vinhedo é fonte dos primeiros grands crus da América do Sul, e originou os primeiros vinhos do continente a conquistar em 2018 os 100 pontos de Robert Parker – o Catena Zapata Malbec Adrianna River Stones 2016. O Vinhedo Adrianna já rendeu também 4 notas 100 de James Suckling, com um desempenho realmente impressionante.

Eleita 12 vezes pela Wine&Spirits uma das 100 melhores vinícolas do mundo e com mais de 50 vinhos com nota igual ou maior a 95 pontos de Robert Parker, Catena Zapata também foi a vinícola argentina campeã do primeiro Extraordinary Winery Awards, em 2017, organizado por Parker em parceria com o influente guia Michelin de restaurantes.

 

error: Content is protected !!