Segredos dos castelos e palácios tchecos

Viajar sempre nos convida a novas descobertas. Percorrer caminhos, experimentar sabores, viver experiências e muito mais. Viajar também nos convida a descobrir a história dos destinos, seus monumentos, habitantes e muitas vezes nos surpreender com o que ali aconteceu.

A realidade, às vezes, supera a ficção e, nas centenas de castelos tchecos, houveram cenas tão temíveis que estariam no auge do capítulo mais sangrento de Game of Thrones. Vingança, luta por herança, amantes rancorosos, jardineiros suspeitos, cavaleiros fantasmagóricos e até pegadas emergindo inexplicavelmente do solo. Garantimos que as visitas aos palácios e fortalezas da República Tcheca são tudo menos enfadonhas.

Confira uma pequena rota de castelos e palácios para viajantes destemidos:

Castelo de Olomouc


É difícil imaginar que na catedral do castelo de Olomouc pudesse ter ocorrido o assassinato de um monarca em 1306, com o agravante de ele ter apenas 16 anos! Foi o que aconteceu com o rei Venceslau III, o último da dinastia Premislita. Embora as razões nunca tenham sido conhecidas exatamente – falava-se de uma possível vingança – as consequências foram importantes para o Reino Tcheco, que perdeu assim seu último membro da sua realeza.


Castelo Námĕšť nad Oslavou


Se é comum no cinema que o assassino seja o mordomo, no castelo de Námĕšť nad Oslavou, ele foi o jardineiro. Após um incêndio, os corpos do guarda florestal do castelo e sua família foram descobertos. Embora a princípio se acreditasse que fosse fruto de um acidente, a culpa do jardineiro foi revelada – ele os matou ao ser descoberto roubando a casa do guarda.

Castelo de Buchlov


O motivo do autor do assassinato do nobre D. Enrique de Buchlov, em 1582, nunca foi conhecido com certeza, mas o florete com o qual foi cometido o crime sim. Ver a arma pode ser uma das muitas desculpas para visitar o castelo, observar uma múmia autêntica – da coleção do Egito – e descobrir o que há de verdade na lenda da ‘Dama de Preto’. Esta jovem é tida como Hildegard, filha de um dos Liechtenstein (antigos senhores do castelo), que foi condenada a vagar pelo castelo após ter cometido um ato impróprio. Diz a lenda que, se ela aparece a algum dos senhores de Buchlov, ele morrerá.

Castelo de Cheb


A violência atingiu em dobro a cidade de Cheb,  localizada no oeste da Boêmia, onde o Comandante Albrecht de Wallenstein foi assassinado em 1634, enquanto comandava o exército durante a Guerra dos Trinta anos. Suas tropas também foram atacadas, sem chance de defesa, durante um jantar. Diz a lenda que Wallenstein cavalgava pelas ruas de Cheb, vestindo uma camisa branca com uma mancha de sangue no peito, e após entrar no castelo, desapareceu. A visita não garante um encontro com este fantasma, mas você pode admirar seu cavalo, que está empalhado no Museu Cheb.

Castelo de Hodonín

Em Hodonín, quem ainda perambula pelo castelo é o Senhor de Branco, cujo espírito ali ficou preso no século XVII. Dizem que um jovem órfão, enriquecido do dia para a noite, após assumir as terras dos senhores da região, casou-se e morreu pouco depois. Sua esposa, a única herdeira, era a principal suspeita do crime, mas seu envolvimento nunca foi comprovado.

Castelo de Český Krumlov


Filhos ilegítimos da nobreza são comuns, como nessa história. Para saber mais, é necessário voltar ao século 17 e ir ao castelo de Český Krumlov, onde vivia Júlio César d’Austria, filho bastardo do Rei Rodolfo II dos Habsburgos. Conta-se que sofria de esquizofrenia e durante um de seus surtos acabou com a vida de sua amante, filha de um barbeiro, em 1608. O monarca, seu pai, ao saber do ocorrido, decidiu condená-lo à prisão perpétua. Ele não sobreviveu nem mesmo um ano.

error: Content is protected !!