Fase vermelha deve agravar ainda mais a situação financeira de lojistas de shoppings

A Comissão de Shoppings Centers da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Campinas vê com grande preocupação o retorno da cidade para a fase vermelha, no período de 03 a 13 de março, como anunciado nesta tarde pelo prefeito da cidade. Lojistas dos centros de compra já atravessam momentos de grande dificuldade financeira, pela queda de movimento e vendas desde o inicio da pandemia de covid, há um ano, dificuldades em negociações de aluguel e agora terão de fechar por mais 15 dias.

O presidente da Comissão, Gustavo Maggioni, lembra um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), revela o tamanho da dificuldade dos lojistas. As visitas mensais aos shoppings caíram de 502 milhões em 2019, para 341 milhões no ano passado. O dado abrange todo o país no período de janeiro a dezembro, e o tempo de permanência dentro dos centros de compras também foi reduzido, de 1h30 para uma média de 20 a 30 minutos. Por conta da queda de movimento, somente em Campinas mais de 100 lojas encerraram suas atividades no ano passado.

A reabertura dos shoppings não foi suficiente para evitar prejuízos, afirma ele. Outra dificuldade no momento está sendo a dificuldades dos lojistas em renegociar o valor do aluguel com taxas mais reais. “A maioria dos contratos está atrelada ao IGPM, que disparou nos últimos doze meses e as administradores relutam em alterar o índice”, completa.

No destaque, Gustavo Maggioni, presidente da Comissão de Shoppings Centers da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Campinas

error: Content is protected !!